4/11/11 3:00
Atualizado em 4/11/11 às 3:00

GDF e CLDF lançam Fórum de Educação

 

O objetivo é ampliar o acesso aos cursos profissionalizantes e tecnológicos no Distrito Federal e no Entorno. Pronatec faz parte das ações e recebe inscrições para bolsas somente até hoje

Da Redação

Em sessão na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), foi lançado nesta sexta-feira (4/11) o Fórum Permanente de Educação Profissional e Tecnológica de Brasília e Entorno. O objetivo é instituir políticas educacionais baseadas em parcerias entre o Governo do Distrito Federal (GDF) e o governo federal. Ao final do encontro, foi consolidada uma carta de intenções.

O secretário de Educação do DF, Denilson Bento da Costa, afirmou que o GDF está empenhado em universalizar o acesso à educação profissional. “Vamos buscar parcerias para efetivar a educação profissional, que ficou abandonada pelo governo nos últimos nove anos”, anunciou. Para ele, “educação tem de ser prioridade de todos”, independente de coloração partidária.

Para ampliar o acesso às escolas técnicas, o GDF firmou com o Sistema S uma parceria para preencher 3.145 vagas no curso de verão 2011/2012 da Bolsa Formação Estudante do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). As vagas são oferecidas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) nas unidades do Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Taguatinga, Gama, Plano Piloto, Ceilândia e Sobradinho.

Inicialmente, serão beneficiados os estudantes matriculados no ensino médio da rede pública. As inscrições terminam hoje e devem ser feitas na secretaria da escola em que o aluno estuda. Dentre os cursos oferecidos estão os de administrador de redes, auxiliar de web design, operador de computador, programador, modelista, assistente de obras, padeiro e confeiteiro, ajustador mecânico, operador de caixa, recepcionista, balconista de farmácia e recepcionista de eventos, entre outros.

Para o secretário do Entorno, Renato Andrade, a criação de escolas técnicas profissionalizantes deve ser uma das prioridades do PAC do Entorno. “Essas novas escolas possibilitarão que os moradores consigam emprego e renda dignos em suas próprias cidades, sem terem que se deslocar para outros locais”, afirmou.

Durante a solenidade, o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, professor Eliezer Pacheco, foi convidado a palestrar sobre o assunto e comentou sobre as políticas do governo federal voltadas à educação profissional. Segundo ele, o setor sofreu preconceito durante décadas e, somente no começo deste século, passou a ser efetivamente considerado estratégico do ponto de vista político.

“Nosso país sempre foi marcado por uma cultura bacharelesca e elitista, o que fez o trabalho ser visto como algo indigno. Nós, da academia, costumamos ser arrogantes. Temos de reconhecer as diferentes formas de saber”, discursou. “Hoje eu tenho a felicidade de dizer que, no ministério, não falta dinheiro para os investimentos na formação dos nossos profissionais”, concluiu.

A cerimônia ocorreu no plenário da CLDF e foi uma iniciativa do deputado distrital e líder do Governo na Câmara, Wasny de Roure. Também estiveram presentes o secretário adjunto de Turismo do DF, Geraldo Bentes, e a presidente do Sindicato das Escolas Particulares do DF, Amábile Pacios, entre outras autoridades.

Carta de intenções do Fórum Permanente de Educação Profissional de Brasília e Entorno

Os signatários desse documento, através da criação do Fórum Permanente de Educação Profissional e Tecnológica de Brasília e Entorno, reafirmam seu compromisso com a consolidação de uma política de Educação Profissional para o DF e seu Entorno, visando a otimização da oferta, com qualidade social, de cursos de Educação Profissional e Técnica.

O início deste século no Brasil tem sido marcado pelo forte desenvolvimento econômico e produtivo, por sua vez marcado pelo emprego crescente de tecnologias nos setores produtivos e na prestação de serviços.

Esse aumento enseja a formação crescente de pessoas qualificadas para atuar em um mercado de trabalho cada vez mais exigente e pressupõe ações mais efetivas no âmbito da educação e do trabalho. Será necessário, para que se consiga manter o nível de crescimento do Brasil, formar muitos profissionais, com alta qualificação técnica nos próximos anos. Toda a sociedade tem que ser mobilizada para a consecução desse objetivo.

O Governo Federal tem demonstrado prioridade para essa demanda e o MEC aponta várias ações para a consecução desse objetivo, notadamente o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que demanda ações coletivas dos diversos agentes da área da formação profissional no Brasil.

Diante desse cenário e movido pela demanda das classes envolvidas com o ensino técnico e profissionalizante do Distrito Federal e Entorno é que surgiu a ideia de criação de um Fórum Permanente. Esse Fórum se constitui para analisar e propor ações voltadas para a disseminação da formação profissional e para a discussão sobre as distintas formas de transferência de tecnologia, articulando as ações como forma de otimizá-las.

Para que se alcance o objetivo de aumentar substancialmente a oferta, com qualidade social, de cursos técnicos e tecnológicos, como também de Formação Inicial e Continuada, é necessário que as ações dos diversos atores sejam coordenadas e direcionadas pelos mesmos princípios gerais.

O Fórum procurará articular essas ações, reunindo periodicamente seus membros e promovendo seminários, debates e congressos para subsidiar as ações dos diversos integrantes do fórum e possibilitando a otimização dos esforços com vistas à qualificação da oferta de Educação Profissional e Tecnológica.

São convidados a participar do fórum todas as instituições direta ou indiretamente ligadas à formação profissional (Secretaria de Educação do DF, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília – IFB, SENAI, SENAC, demais secretarias do GDF, escolas particulares, entre outros), bem como membros da sociedade civil relacionados ao mundo do trabalho.

Com isso, além de procurar aumentar a oferta, o fórum fará discussões e proposições no sentido de manter os cursos atualizados e em consonância com as demandas do mundo do trabalho, garantindo tanto o desenvolvimento do Distrito Federal quanto a colocação dos alunos no mercado de trabalho.

Ao propor a criação do Fórum, portanto, os signatários do presente documento procuram atender à demanda premente da sociedade do Distrito Federal e do Brasil, garantindo a formação profissional da nossa população e contribuindo para o crescimento econômico e social do país.

Brasília, 04 de Novembro de 2011

00016344