4/1/12 3:00
Atualizado em 12/5/16 às 17:51

GDF divulga ações emergenciais para a EPTG

Representantes de quatro áreas do governo se reuniram com construtoras e anunciaram 11 medidas imediatas para corrigir falhas e evitar acidentes na via. Governador Agnelo Queiroz exigiu providências

    Em cumprimento à determinação do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, os secretários de Transportes, José Walter Vasquez; e de Obras, Oto Silvério; o diretor do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), Fauzi Nacfur Júnior, e representantes do Departamento de Trânsito (Detran/DF) e das cinco empresas responsáveis pela obra da Estrada Parque Taguatinga Guará (EPTG) estiveram reunidos nesta quarta-feira para definir as providências a serem adotadas imediatamente para melhorar as condições gerais e de segurança na via.

    Após três horas de reunião, foram anunciadas 11 medidas. Entre elas, melhorias no sistema de drenagem e instalação de sinalizadores móveis e de 50 radares eletrônicos até o fim do mês – o que dará uma média de um a cada 250m nos 12,6km de extensão da EPTG. Além disso, quatro viaturas do DER, Detran e da Polícia Militar estarão em tempo integral na via para fiscalizar o tráfego.

    Agnelo Queiroz destacou que os problemas na EPTG são resultado de uma obra com problemas de planejamento, execução e supervisão realizada em gestões anteriores. “É nossa obrigação tomar as providências e chamar esses executores à responsabilidade. Estamos trabalhando para tornar a EPTG uma via com totais condições de segurança para quem trafega no local”, ressaltou.

    O governador também determinou a criação de força tarefa formada pelas cinco empresas que projetaram, executaram e supervisionaram a obra. O grupo terá 10 dias para analisar a EPTG em toda a sua extensão e verificar possíveis melhorias. Também será feito estudo detalhado sobre os dois locais onde o trânsito perde a fluidez: na entrada de Águas Claras e na saída do Jockey Club.

    Prazo – O secretário de Transportes, José Walter Vasquez, destaca que a EPTG não possui problemas estruturais. As intervenções na via serão rápidas e terão seus efeitos percebidos em cerca de 15 dias. “As intervenções não atrapalharão o trânsito e darão conforto e segurança aos motoristas”, assegurou o secretário.

    As melhorias na sinalização vertical (placas) já começaram. Hoje, foram feitas as primeiras modificações na entrada do Guará. Para as horizontais (marcações na pista), é necessário esperar o término das chuvas. O secretário também informou que será instalado um semáforo na entrada do viaduto Israel Pinheiro, em Vicente Pires, para desafogar o tráfego na região, e que a velocidade máxima da EPTG deve ser reduzida em alguns locais.

    As barreiras de proteção das laterais e dos viadutos da EPTG, que hoje estão colocadas de maneira incorreta, serão trocadas em um primeiro momento por barreiras móveis de plástico e areia. A ideia é que elas sejam gradualmente substituídas por defensas metálicas definitivas.

    O grupo decidiu durante a reunião promover mudanças na circulação de ônibus na EPTG. Há duas possibilidades em estudo: que os coletivos transitem em mão inglesa no corredor exclusivo ou que esse corredor seja usado apenas como via expressa, sem paradas, pelos ônibus que fazem o trajeto de Taguatinga e Ceilândia para o Plano Piloto.

    Ainda fazem parte das medidas anunciadas nesta quarta a distribuição de folderes educativos aos motoristas e a colocação de grama sob os viadutos, pois sem a devida sustentação aumenta o risco de desabamento e consequentes derrapagens pela presença de barro na pista.

    00018521

    Foto: Brito