28/3/14 18:25
Atualizado em 17/5/16 às 14:54

Escrituras definitivas garantem tranquilidade de moradores de Samambaia

Entrega do documento durante o GDF Junto de Você realiza sonho de residentes antigos da cidade


. Foto: Dênio simões/ GDF

SAMAMBAIA (28/3/14) – Uma parcela de 383 moradores de Samambaia que não tinha escrituras definitivas de seus imóveis foi contemplada, nesta sexta-feira (28), com a entrega dos documentos. A solenidade, que contou com a presença do governador Agnelo Queiroz, ocorreu na estrutura da sétima edição do GDF Junto de Você, instalada ao lado da Administração Regional da cidade.

 

“Temos aqui uma situação em que os moradores vivem há anos, mas não têm escrituras. Queremos, agora, entregar esse documento. Algumas casas, inclusive, são da época da SHIS (Sociedade de Habitação e Interesse Social) e até hoje não têm escritura”, afirmou Agnelo, acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli.

 

As escrituras foram entregues aos moradores das quadras 100 a 500, que esperaram por esse momento há pelo menos 30 anos. Ao todo, somente em Samambaia, a gestão Agnelo Queiroz entregou mais de 2 mil desses documentos. “Queremos fazer assim como fizemos, na última semana, com os moradores da Vila Planalto, que moram há mais de 50 anos sem o documento de propriedade”, acrescentou o governador.

 

A autônoma Francisca Leão, 46 anos, que reside na Quadra 204 Norte há 12 anos, foi uma das beneficiadas com a iniciativa do GDF: “Agora me sinto mais tranquila tendo o meu documento definitivo e não somente um termo de ocupação. Isso, para mim, demonstra que o governo tem dado mais atenção a quem precisa”, disse.

 

O Mutirão das Escrituras, do qual essa estrega faz parte, foi lançado em 2012 para atender as pessoas que moram em cidades regularizadas, mas que não tinham a documentação dos imóveis em dia.

 

Pelo programa, o GDF assinou acordo com o a Associação dos Cartórios e conseguiu diminuir os valores das taxas cobradas convencionalmente para a obtenção de escrituras. Enquanto quem não participa do mutirão pagaria cerca de R$ 1,2 mil de taxas de cartório, quem faz parte dessa ação do governo paga apenas R$ 198.

 

(F.M./C.C.*)