1/7/15 16:46
Atualizado em 1/7/15 às 16:46

Área central de Ceilândia passa por revitalização

Ação é a segunda fase da operação Levanta, DF, que começou em janeiro


. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Atualizado em 1º de julho de 2014, às 15h34

A área central de Ceilândia — que começa na Avenida Hélio Prates, perto do 8º Grupamento de Bombeiro Militar, e vai até a estação do metrô Ceilândia Centro — passa por pequenas intervenções, como poda de árvores e pintura de estacionamento e de meios-fios desde 22 de junho. Nesta quarta-feira (1º), a iniciativa ocupou as paredes externas da Feira Central de Ceilândia com grafites temáticos sobre a região Nordeste do País.

De acordo com o vice-governador Renato Santana, essa é a segunda etapa da operação Levanta, DF, que começou no início de janeiro. “No primeiro momento, retiramos entulhos, agora, nesta fase, vamos revitalizar os centros comerciais para dar um aspecto melhor.”

A ação conta com o trabalho de órgãos como a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), que nivela as calçadas; o Serviço de Limpeza Urbana, que recolhe o lixo das ruas e calçadas, além de fazer a pintura dos meios-fios; a Agência Fiscalizadora do Distrito Federal, que fiscaliza o comércio de ambulantes; e o Departamento de Trânsito do DF (Detran), que organiza estacionamentos e faixas de pedestres. Diariamente, circulam pela área central de Ceilândia cerca de 120 mil pessoas.

Feira central
Por meio de uma parceria da administração regional com artistas locais — que se voluntariaram para promover a intervenção — e com feirantes — que doaram as latas de spray —, as paredes externas da feira começaram a ser grafitadas. A escolha do tema alusivo ao Nordeste se deve ao fato de grande parte dos moradores de Ceilândia ser de origem ou descendentes dos estados daquela região.

De acordo com a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (Pdad) 2013, da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), Ceilândia tem 449.592 habitantes. Destes, 48,27% não nasceram em Brasília. Do total de imigrantes, 66,43% são de estados como a Bahia, o Piauí, a Paraíba, o Maranhão e o Rio Grande do Norte. Outros 16,91% são do Sudeste e 13,37% do Centro-Oeste. “É uma homenagem à cultura nordestina”, explica o administrador regional Vilson José de Oliveira.

O grafiteiro Rivanilson da Silva Alves, de 45 anos, nasceu em Taguatinga, mas vive na região desde a adolescência. Ele conta que há bastante mobilização dos artistas locais para promover intervenções em Ceilândia. “Retrataremos aqui ícones nordestinos como o Luiz Gonzaga e Dominguinhos, e itens característicos, como a buchada, que faz parte da culinária nordestina”, esclarece.

Expansão
Segundo o vice-governador Renato Santana, a ideia é levar as revitalizações para as 31 regiões administrativas de Brasília. O primeiro local a receber as intervenções foi a Praça do Mercado Norte, ao lado do Taguacenter, em Taguatinga.

Veja a galeria de fotos: