4/9/15 17:13
Atualizado em 4/9/15 às 17:13

DF registra 40 ataques a caixas eletrônicos em 2015

Assunto foi tema de reunião do comitê gestor do Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida nesta sexta-feira (4)


O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Hamilton Santos, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e o secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Arthur Trindade, acompanharam a apresentação dos dados durante a reunião
O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Hamilton Santos, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e o secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Arthur Trindade, acompanharam a apresentação dos dados durante a reunião. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Atualizado em 4 de setembro de 2015, às 15h54

Os frequentes casos de ataques a caixas eletrônicos em Brasília foram tema da segunda reunião do comitê gestor Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida na manhã desta sexta-feira (4) na Subsecretaria de Integração e Operações de Segurança Pública. O programa tem como finalidade reunir soluções de várias áreas do governo para aprimorar a segurança na cidade.

Segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, de 1º de janeiro de 2015 até hoje, houve 40 casos de ataques a caixas eletrônicos — 27 explosões e 13 arrombamentos com uso de maçarico.

Os números preocupam o governador Rodrigo Rollemberg, que preside o comitê. “O governo fez reuniões com os bancos para fortalecer a prevenção, e estamos revendo protocolos de atuação das Polícias Militar e Civil a fim de ampliar as investigações e prender essas quadrilhas.”

A secretaria articula plano de ação entre as forças de segurança pública e as instituições bancárias para enfrentar o crescimento desse tipo de ocorrência. As ações são: revisão do protocolo de atuação em caso de explosões, reforço no policiamento ostensivo em locais e horários de maior vulnerabilidade e concentração das investigações na Delegacia de Roubos e Furtos.

De acordo com o secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Arthur Trindade, a melhoria da articulação entre as forças de segurança resultará em perícias e investigações mais eficientes. “É um tipo de crime que exige grau de organização maior do que o usual, pois é praticado por quadrilhas que não atuam somente no Distrito Federal, mas no Entorno e em outras unidades da Federação”, alertou. 

Detalhamento
Bandidos não conseguiram levar o dinheiro em 15 das 27 explosões registradas neste ano. Vinte e três ações ocorreram durante a madrugada, duas entre o fim da tarde e o início da noite e outras duas pela manhã. Em 12 situações, vítimas foram rendidas (roubo) e em 15 não houve violência (furto).

O Plano Piloto aparece na frente, com 13 registros. Em seguida, estão Taguatinga e Samambaia, com três cada uma. Dois caixas eletrônicos foram alvo de ladrões na Candangolândia e no Setor de Indústria e Abastecimento. Vicente Pires, Recanto das Emas e Estrutural têm um caso cada uma.

Dos 13 arrombamentos com uso de maçarico, em sete deles foi levado o dinheiro. A maioria ocorreu na madrugada — oito. Outras três foram à noite, uma pela manhã e outra à tarde. Seis foram registradas no Plano Piloto, três em Taguatinga, dois em Ceilândia, um no Cruzeiro e outro em São Sebastião.

Metrô
O ataque de hoje na estação do metrô Terminal Samambaia está entre os números divulgados pelo governo. De acordo com a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), por volta das 4 horas, bandidos armados renderam vigilantes e explodiram dois caixas eletrônicos. As plataformas Samambaia e Samambaia Sul ficaram fechadas para o trabalho das polícias e, por volta das 10 horas, as três estações de Samambaia voltaram a funcionar. Segundo a Polícia Civil, um dos autores do crime foi preso em flagrante. As investigações continuam em andamento.

Viva Brasília
Lançado em 21 de julho, o Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida baseia-se na integração entre os órgãos do governo e a comunidade. Outro alicerce do programa é a consolidação de uma cultura de paz, por meio de ações preventivas, como a oferta de projetos educativos, culturais e esportivos.

A pauta das reuniões mensais do comitê gestor é definida após um ciclo de encontros coordenado pela Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social de dois em dois meses em cada região administrativa. Também é levado em conta o acompanhamento situacional de casos de criminalidade, como o de ataques a caixas eletrônicos.

Participaram da reunião de hoje o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do DF, coronel Hamilton Santos Esteves Junior; o diretor da Polícia Civil, Eric Seba de Castro; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Florisvaldo Ferreira Cesar; e o diretor do Departamento de Trânsito (Detran-DF), Jayme Amorim de Sousa.

Leia também:

Número de homicídios em agosto é o menor dos últimos 8 anos no DF

Viva Brasília discute redução da criminalidade no transporte público

Viva Brasília estabelece novo modelo de segurança pública

 

Veja a galeria de fotos: