19/9/15 18:54
Atualizado em 19/9/15 às 18:54

Documentário sobre Claudio Santoro fecha o 6º dia de mostra competitiva

Filme de diretor inglês é o único concorrente do DF na categoria longa-metragem. Programação da Mostra Brasília de domingo traz seis produções de cineastas locais

Único representante de Brasília na categoria longa-metragem da mostra competitiva do 48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o documentário Santoro — O Homem e sua Música (2015), do inglês John Howard Szerman, será exibido neste domingo (20), às 20h30, no Cine Brasília (106/107 Sul).

O filme retrata fases das vidas profissional e pessoal do músico, compositor e maestro Claudio Santoro (1919-1989), nome que acompanha a orquestra criada por ele em 1979. A obra começou a ser produzida em 2009, por sugestão da viúva do homenageado, a coreógrafa de balé clássico Gisèle Santoro, com o objetivo de preservar a memória dele.

Com depoimentos do protagonista, de familiares, de biógrafos, de amigos e de especialistas em música clássica, a produção apresenta ainda maestros que já passaram pela Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, como Júlio Medaglia, Silvio Barbato e o atual regente titular, Claudio Cohen. A sonoplastia e a trilha sonora ficaram a cargo do pianista Alessandro Santoro, filho do maestro.

Outras histórias
A competição de domingo (20) inicia com A Outra Margem, de Nathália Tereza, de Mato Grosso do Sul. O filme conta a história de um garoto que sintoniza a rádio local para ouvir mensagens de amor. Em seguida História de Uma Pena, de Leonardo Mouramateus, diretamente do Ceará, exibe um professor que espera a chegada de alunos atrasados.

DIA20

Produções brasilienses
O penúltimo dia da Mostra Brasília terá seis produções, entre curtas e médias-metragens, de diretores locais. É o único sem um longa-metragem na programação. Entre os filmes, que disputam R$ 200 mil em prêmios e o 20º Troféu Câmara Legislativa, está Faz seu Corre, de Ricardo Palito, de 22 anos, morador de Ceilândia. O curta, gravado nas ruas da região administrativa, aborda a repressão policial, a discriminação racial e o abuso de autoridades na periferia do DF.

Também serão projetados na telona do Cine Brasília: Johan, de Washington Rayk; João Brandão Adere ao Punk, de Ramiro Grossero; Dias de Azar, de Priscila Pereira; Vagabunda de Meia Tigela, de Otavio Chamorro; e O Melhor Fotógrafo do Mundo, de Fáuston da Silva.

Não competitivas
Na Panorama Brasil, será exibido o longa 5 Vezes Chico — O Velho e Sua Gente, de Gustavo Spolidoro, Ana Rieper, Camilo Cavalcante, Eduardo Goldstein e Eduardo Nunes. O documentário vem do Rio de Janeiro e relata a jornada afetiva por cada um dos cinco estados banhados pelo Rio São Francisco: Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe.

Já a Continente Compartilhado traz a história de pai e filha que viajam da Dinamarca para um local que seria o paraíso. Jauja (2014), assinado pelo argentino Lisandro Alonso, é uma coprodução entre Alemanha, Argentina, Brasil, Dinamarca, Estados Unidos, França, Holanda e México. As sessões ocorrem, respectivamente, às 17 e às 19 horas, na Sala 4 do Cine Cultura Liberty Mall, e os ingressos custam R$ 12 (inteira).

Veja também as programações de outras atividades e a completa do festival.

Leia também:

A vez dos estudantes na sétima arte

Homofobia nas escolas e mobilidade urbana estão entre os temas da Mostra Brasília

Filme rodado na Asa Norte encerrará o festival de cinema de Brasília