12/10/15 11:46
Atualizado em 12/10/15 às 11:46

Uso de aplicativo pela PM facilita recuperação de bicicletas roubadas

Em um mês, 77 veículos foram resgatados por meio de dispositivo que funciona como um banco de dados. Polícia Militar de Brasília é a primeira a utilizar a tecnologia


 Proprietário de uma loja especializada em bicicletas Paulo dos Santos
Proprietário de uma loja especializada em bicicletas Paulo dos Santos. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Desde que a Policia Militar do Distrito Federal começou a usar o aplicativo Bike Registrada — para localizar bicicletas roubadas ou furtadas —, 77 delas foram recuperadas, de acordo com a empresa que criou a tecnologia. O uso, oficializado pela corporação militar no início de setembro, ajudou a identificar os donos dos objetos. Qualquer cidadão também pode adotar a prática.

No aplicativo, instalado gratuitamente em celulares iPhone ou Android, o ciclista faz um cadastro com o nome, o telefone, o e-mail e o número de série no quadro (equivalente ao chassi de um carro). Quando o veículo é furtado ou roubado, a vítima altera o status para roubado. Ao deparar com uma bicicleta suspeita, a polícia pode inserir o código no Bike Registrada e identificar o dono cadastrado e a situação do objeto. Ainda há a opção de ligar ou mandar mensagem ao proprietário.

Criado em 2013, o equipamento funciona em todo o Brasil, mas a polícia de Brasília foi a primeira a utilizar a tecnologia. Desde o início do aplicativo, 107 veículos voltaram às mãos dos donos no Distrito Federal.

Checagem rápida
O porta-voz da PM, capitão Michello Bueno, explica que o aparelho acelerou o processo para detectar se a peça é roubada: “Antigamente, a gente abordava a pessoa e tinha que levar o objeto para a delegacia se fosse suspeito. Hoje, em dois minutos, é possível verificar a origem do material”.

O equipamento também é usado por comerciantes, que podem consultar se o veículo é ilegal ao digitar o número do quadro. Proprietário de uma loja especializada, Paulo dos Santos diz que é útil para os casos de trocas ou compras de veículos usados. Ele tem usado o aplicativo desde a criação e confirma que há mais segurança nas vendas. “O roubo de bicicleta atrapalha muito o comércio. Clientes deixam de comprar as mais caras por medo.”

Um dos fundadores da tecnologia, Rubem Vasconcelos informa que, desde que a polícia começou a adotar o aplicativo, houve aumento de 70% na recuperação de bicicletas. O idealizador também explica que, após Brasília dar o primeiro passo, outras PMs no País começaram a divulgar o uso. Vasconcelos acrescenta que outra vantagem é inibir a ação do ladrão. 

Para adquirir o dispositivo, o ciclista deve fazer uma conta gratuita no site, com o e-mail ou perfil de umas das redes sociais aceitas na plataforma. O cadastro é gratuito, e a identificação ocorre pelo número do quadro da bicicleta.

Veja a galeria de fotos: