8/12/15 11:40
Atualizado em 8/12/15 às 11:40

Taxa de homicídio no Distrito Federal é a menor dos últimos 7 anos

Balanço foi apresentado nesta terça-feira (8) pelo governador Rodrigo Rollemberg. Programa Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida contribuiu para redução dos crimes


. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Atualizado em 8 de dezembro de 2015, às 12h11

A política de segurança pública do governo de Brasília contribuiu, mais uma vez, para reduzir os principais indicadores de criminalidade da capital federal. Nos primeiros 11 meses de 2015, registraram-se 548 homicídios, o menor número dos últimos sete anos (veja tabela). Em relação a 2014, a diminuição foi de 14,4%, quando houve 640 assassinatos.

Outras modalidades de crimes contra a vida apresentaram queda de janeiro a novembro em comparação ao mesmo período de 2014. Os latrocínios (roubos com morte) caíram de 44 para 40 (-9,1%). As estatísticas constam do balanço divulgado na manhã desta terça-feira (8) pela Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social.

Desde o início do ano, 986 policiais militares que desenvolviam atividades burocráticas foram transferidos ao patrulhamento ostensivo. Além disso, 48 policiais civis foram nomeados. A presença de mais agentes de segurança nas ruas fez a quantidade de roubos de veículos encolher 33,8% (de 6.651 para 4.401) e a de furtos, 30% (de 14.805 para 10.364).

HOMICÍDIOS NO DF
(De janeiro a novembro)

2008

592

2009

689

2010

584

2011

654

2012

723

2013

617

2014

640

2015

548

Fonte: Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social

O roubo em comércio teve decréscimo de 32,6%. De janeiro a novembro, ocorreram 1.163 assaltos a estabelecimentos a menos do que o computado nos 11 primeiros meses de 2014.

Viva Brasília
As ações do programa Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida são apontadas pela gestão da segurança pública como fundamentais para a redução da criminalidade. Os roubos a pedestres — difíceis de ser evitados por se tratarem de crimes de oportunidade — também decresceram no acumulado de janeiro a novembro em comparação com 2014. De acordo com o levantamento da pasta, 27.583 pessoas foram assaltadas em 2015, 1.568 a menos do que no ano passado (29.151).

As delegacias de Brasília calcularam menos 165 estupros no período comparado — queda de 22,4% de 2014 (736 casos) a 2015 (571).


Mais drogas apreendidas

O trabalho de repressão às drogas das Polícias Civil e Militar resultou no aumento de 27,1% das ocorrências por tráfico de entorpecentes e de 42% por uso e porte de drogas. Outro indicador positivo das ações policiais é o incremento de 1,6% de armas de fogo retiradas das ruas. De janeiro a novembro de 2015, foram 1.449 revólveres, pistolas e outros tipos apreendidos, contra 1.426 do ano passado.

Integração
Segundo os gestores dos principais órgãos envolvidos no Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida, a medida primordial para alcançar o sucesso no programa é a integração entre as forças de segurança e com a população. O governador Rodrigo Rollemberg ressaltou a importância de ações sociais e iniciativas como o Voz Ativa na Segurança, que passou por quatro regiões administrativas (Ceilândia, Estrutural, Planaltina e Santa Maria), onde foi possível colher impressões da comunidade sobre o tema.

O Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida busca a redução da criminalidade por meio da colaboração entre as forças de segurança, a população e outros órgãos do governo, que atuam de forma transversal. Melhorar a iluminação pública, cortar o mato alto e aprimorar a infraestrutura de certas localidades, por exemplo, são ações que resultam em maior sensação de segurança pública.

Esforço
Agora, as forças de segurança do DF focam em estratégias para reduzir a quantidade de roubos em residências, que cresceram 16,6% em 2015, elevando a quantidade de ocorrências de 517 para 603, e roubo em coletivo, que em novembro aumentaram 34% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Foram 256 registros para 191. “Faremos uma ação integrada em que a PM intensifique as abordagens e a Polícia Civil também trabalhe no sentido de identificar autores contumazes para conseguir tirá-los de circulação por meio de prisões”, detalhou a secretária interina da Segurança Pública e da Paz Social, Isabel Seixas.

Desde o início de 2015 até o mês passado, policiais militares fizeram 45.973 abordagens a ônibus e, de acordo com o comandante-geral da PM, coronel Florisvaldo Ferreira Cesar, esse número aumentará de forma considerável em dezembro. Para isso, a corporação iniciou uma operação especial de fim de ano.

De acordo com ele, as estatísticas mostram que a maior incidência criminal começa às 10 horas e vai até as 22 horas. “É nesse período que a gente tem que colocar nosso maior efetivo.” No comparativo dos 11 primeiros meses do ano, houve redução nos casos de roubo em coletivos — 2.144 em 2015 contra 2.147 em 2014, redução de 0,1%.

Para o governador Rodrigo Rollemberg, o balanço dos primeiros meses do Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida é positivo. “Temos convicção de que estamos no caminho certo, mas entendemos que os números ainda são elevados. Nosso esforço é para reduzir ao máximo os índices de criminalidade.”

Acesse a íntegra da apresentação.

Leia também:

Número de homicídios no DF tem queda de 13,6% em relação a 2014

Lançado oficialmente, Viva Brasília promoverá diálogo e cultura de paz

 

Veja a galeria de fotos:

https://www.flickr.com/photos/agenciabrasilia/albums/72157662173868255″ title=”Taxa de homicídio no Distrito Federal é a menor dos últimos 7 anos”>https://farm6.staticflickr.com/5802/22979622233_08a2da0182_c.jpg”width=”800″ height=”495″ alt=”Taxa de homicídio no Distrito Federal é a menor dos últimos 7 anos”>

Veja a galeria de fotos:

https://www.flickr.com/photos/agenciabrasilia/albums/72157661970778602″ title=”Taxa de homicídio no Distrito Federal é a menor dos últimos 7 anos”>https://farm1.staticflickr.com/696/23513257181_4075557fa7_c.jpg”width=”800″ height=”495″ alt=”Taxa de homicídio no Distrito Federal é a menor dos últimos 7 anos”>