20/3/16 15:01
Atualizado em 20/3/16 às 15:01

Caminhada no Parque da Cidade chama a atenção para a inclusão

Governador participa de evento em celebração ao Dia Internacional da Síndrome de Down


. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Na manhã deste domingo (20), mais de 300 pessoas — segundo os organizadores — reuniram-se no Estacionamento 10 do Parque da Cidade para reivindicar formas de inclusão de pessoas com síndrome de Down. A 2ª CaminhaDown Brasília contou com a presença do governador Rodrigo Rollemberg.

Organizado por entidades ligadas ao tema, o evento com direito a piquenique no fim do trajeto teve o objetivo de trazer a ideia “Caminhar por um mundo mais inclusivo”. O encontro também marcou o Dia Internacional da Síndrome de Down, celebrado nesta segunda-feira (21).

“Eventos como esse são relevantes para conscientizar as pessoas da importância de respeitar as diferenças e criar as condições para que todos possam exercer sua cidadania de forma integral”, enfatizou Rollemberg.

Para Lourdes Lima, presidente da Associação DF Down — uma das organizadoras do evento desta manhã — e mãe de uma criança com a deficiência, ainda há muito o que avançar. “Precisamos mostrar para a sociedade que a pessoa com síndrome de Down, quando tem os direitos respeitados, pode ir longe.”

O governador admitiu que Brasília ainda tem desafios, como a ampliação da educação inclusiva, mas lembrou que temos o Centro de Referência Interdisciplinar em Síndrome de Down (Cris Down), no Hospital Regional da Asa Norte, referência no acompanhamento de crianças com a deficiência.

Os secretários do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Joe Valle, e de Cultura, Guilherme Reis, também participaram da caminhada.

Veja a galeria de fotos:

https://www.flickr.com/photos/agenciabrasilia/albums/72157663832630564″ title=”Caminhada no Parque da Cidade chama a atenção para a inclusão”>https://farm2.staticflickr.com/1506/25907681506_0b4ff24157_c.jpg”width=”800″ height=”531″ alt=”Caminhada no Parque da Cidade chama a atenção para a inclusão”>