15/6/16 9:20
Atualizado em 5/7/16 às 14:00

Inscrições para Fábrica Social podem ser feitas até 24 de junho

Mais de 1,3 mil pessoas se candidataram às aulas de cinco cursos diferentes, que começam em agosto. Valdemiro Rodrigo Gomes, de 18 anos, é um dos alunos da turma de construção civil, iniciada em outubro de 2015

A Fábrica Social está com inscrições abertas até 24 de junho para cinco cursos de capacitação profissional. Até a manhã dessa terça-feira (14), 1.313 pessoas haviam se cadastrado para concorrer a uma das 1,4 mil vagas disponíveis desde o dia 6. Os novos alunos ingressarão em agosto.

Valdemiro Rodrigo Gomes é um dos poucos homens na turma de 50 alunos. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília
Valdemiro Rodrigo Gomes é um dos poucos homens do curso de construção civil. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Dos cinco cursos, três são novos — instalação e manutenção de placas fotovoltaicas, produção e cultivo de alimentos e marcenaria com madeiras recicláveis. Os dois primeiros têm 150 vagas cada e, o último, 50. As aulas de têxtil e confecção de materiais esportivos — com mil vagas abertas ao todo — começaram quando a Fábrica Social foi criada, em 2013, e as de construção civil — com 50 oportunidades — tiveram início em outubro do ano passado.

As novas capacitações contarão com a parceria de outras áreas do governo local. A de produção e cultivo de alimentos saudáveis e a de marcenaria com madeiras recicláveis, por exemplo, terão o apoio da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural. A parte prática dessas modalidades ocorrerá em áreas definidas pela pasta, e a teoria continuará sendo ensinada nas duas unidades da Fábrica Social, no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento.

Já o curso de instalação e manutenção de placas fotovoltaicas é uma parceria com a Secretaria do Meio Ambiente e faz parte da estratégia do programa Brasília Solar, que vai incentivar o uso das chapas que convertem luz solar em energia elétrica.

Inscrições

As inscrições para as vagas no programa devem ser realizadas por meio do telefone 156, opções 9 e 6. Os interessados devem ser inscritos no Cadastro Único para programas sociais do governo federal e morar em Brasília. No entanto, a comunidade da Estrutural tem preferência. “O centro de capacitação foi criado especialmente para criar oportunidades para egressos do aterro controlado do Jóquei”, conta o subsecretário de Integração das Ações Sociais, Célio Silva, da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

Para participar do programa, é preciso ter no mínimo 16 anos de idade e renda familiar per capita de até R$ 154, além de nunca ter feito algum curso oferecido. O processo seletivo destina 5% das vagas para pessoas com deficiência, 5% para idosos e 5% para adolescentes em conflito com a lei. O sorteio dos participantes ocorrerá em 29 de junho de 2016, e os candidatos que não forem contemplados com a vaga, aguardarão na lista de espera.

Fábrica Social

Oportunidade de trabalho

Vanderleia Vieira Barros, de 45 anos, é uma das 46 mulheres que fazem o curso de construção civil na Fábrica Social. Ela mora na Estrutural há 19 anos e por mais de dez anos trabalhou no aterro controlado. Desempregada, a mulher encara as aulas como uma oportunidade de melhorar de vida e planeja parcerias com as colegas de turma. “Se aparecer alguém querendo contratar a gente para colocar cerâmica ou fazer alguma instalação elétrica, estamos capacitadas”, conta com orgulho.

Um dos pouquíssimos homens que integram a turma de 50 alunos, Valdemiro Rodrigo Gomes, de 18 anos, já utiliza o que sabe para ajudar no sustento de casa. Também morador da Estrutural, o rapaz mora sozinho com a mãe e planeja as mudanças que fará no lar assim que possível. “Vou consertar as ligações elétricas que não estão seguindo as normas vigentes e quero colocar cerâmica na casa.”

O curso de construção civil ensina princípios de hidráulica, elétrica, revestimento, alvenaria, pintura e telhado. São dois anos de formação, que envolvem aulas práticas e teóricas.

Das 1.313 inscrições realizadas até o momento, 762 são para o curso da área têxtil, 283 para o de construção civil, 157 para o de produção e cultivo de alimentos saudáveis, 87 para o de instalação e manutenção de placas fotovoltaicas e o restante para marcenaria com madeiras recicláveis.

O programa

O centro de educação profissional é parte dos programas da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. Atualmente, o lugar tem 298 alunos. De janeiro a março, 427 pessoas que participaram dos cursos do programa Fábrica Social conseguiram emprego. No mesmo período, foram qualificados 120 alunos.

Edição: Gisela Sekeff

Galeria de Fotos

Inscrições para cursos na Fábrica Social podem ser feitas até 24 de junho