17/11/16 18:37
Atualizado em 5/12/16 às 15:35

Um mês após chuvas, ação de governo em Samambaia se mostrou eficaz

Trabalho integrado de diversos órgãos garantiu retomada de energia elétrica, segurança das casas, distribuição de telhas e cestas básicas, entre outras medidas. Reconstrução de muros de escolas está em andamento

As consequências do temporal de 19 de outubro, que afetou parte de Samambaia Norte, poderiam ser piores para o aposentado Edmar Cordeiro, de 51 anos, sem o auxílio do governo de Brasília. Morador da quadra 115, ele estava em casa no momento da chuva, quando viu todas as telhas desabarem, o piso alagar e a mulher correr com os netos para o banheiro.

Nesta quinta (17), a Novacap iniciou a recuperação do Centro de Atenção Integrada à Criança Ayrton Senna.
Nesta quinta (17), a Novacap iniciou a recuperação do Centro de Atenção Integrada à Criança Ayrton Senna. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Horas após a destruição do telhado, a Defesa Civil esteve na casa de Edmar e constatou os riscos. Quatro dias depois, ele recebeu da Administração Regional de Samambaia as telhas necessárias ao reparo. “Ter o teto de novo me possibilitou reerguer o resto da minha casa”, conta.

Também aposentado, o cadeirante Antônio Conceição dos Reis recebeu 22 telhas dias após a chuva. Com dificuldade de locomoção, ele estava deitado quando o teto começou a desabar. “Nasci de novo”, afirma.

"Ter o teto de novo me possibilitou reerguer o resto da minha casa"Edmar Cordeiro, morador atingido pelo temporal em Samambaia

Antônio classifica o trabalho do Executivo local na ocasião como “bastante eficiente”. Esses são dois exemplos de pessoas atendidas pela ação integrada de governo, sob a coordenação da Secretaria das Cidades. Ao todo, cerca de 5 mil telhas foram entregues a moradores e representantes de instituições.

A estratégia de trabalho permitiu que, apenas um dia após a chuva, toda a rede de energia elétrica estivesse restabelecida. Desde 20 de outubro, foram retiradas 4.504 toneladas de entulho das ruas de Samambaia. Cem sacos de cimento, cerca de mil cestas básicas, uma tonelada de alimentos não perecíveis e quatro de frutas, legumes e verduras, além de 300 sacolas de roupas, foram distribuídos às vítimas.

A Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos realizou 1.536 atendimentos, e 1.491 famílias receberam a ordem de pagamento do auxílio vulnerabilidade, de R$ 408, com saque autorizado nas agências do Banco Regional de Brasília (BRB). Apenas 5% dos lares estavam desprotegidos na segunda-feira seguinte ao temporal (24), mesma data em que a maior parte das escolas afetadas retomou as atividades.

"Foi dada uma resposta rápida e integrada de diversos órgãos do governo. Podemos dizer que Samambaia voltou à normalidade"Marcos Dantas, secretário das Cidades

A mobilização envolveu tanto o setor público quanto a sociedade, segundo o secretário das Cidades, Marcos Dantas. “Foi dada uma resposta rápida e integrada de diversos órgãos do governo, com mais de 800 trabalhadores, coordenação da Secretaria das Cidades e presença constante do governador Rodrigo Rollemberg”, observa.

Na avaliação do secretário, a solidariedade funcionou. “Retomamos a energia elétrica, provemos telhas para casas e limpamos a cidade. Muita gente ajudou via Portal do Voluntariado, com a entrega de colchões e cestas básicas. Podemos dizer que Samambaia voltou à normalidade.”

Reconstrução de muros de escolas afetadas pelas chuvas

Apesar de a situação ter saído do estado emergencial em 25 de outubro, as atividades continuam quase um mês depois. Na quarta-feira (16), a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) finalizou a reconstrução do muro da Escola Classe 111. “Primeiro me desesperei com a notícia do temporal, já que não estava aqui. Mas logo a Defesa Civil veio e interditou por 72 horas, e o policiamento fez ronda. Agora, o muro está de volta”, ressalta a vice-diretora do colégio, Maria do Rosário de Fátima, 47.

Nesta quinta (17), a Novacap iniciou a recuperação do Centro de Atenção Integrada à Criança Ayrton Senna. “A resposta do governo foi rápida, compraram o material e logo instalaram o tapume. Agora trazem o muro de volta. Na primeira semana após a chuva, tivemos policiamento o dia todo”, conta a vice-diretora da instituição, Miriam Felizardo. A Escola Classe 317 e o Centro Fundamental 619 também passam por reparos.

Quanto à entidade de assistência social Casa Azul Felipe Augusto, que teve o andar de cima destruído, a Administração Regional de Samambaia esteve no local na segunda-feira (14) e pediu levantamento das principais necessidades da instituição para avaliar como os órgãos públicos podem contribuir.

Edição: Vannildo Mendes

Galeria de Fotos

Um mês após chuvas, ação de governo em Samambaia se mostrou eficaz