10/2/17 10:48
Atualizado em 10/2/17 às 11:24

Com vazamento de gás controlado, Escola Classe 1 da Estrutural inicia ano letivo

Os 1,1 mil alunos da unidade puderam voltar a estudar mais perto de casa após a instalação de filtros de ar no local. Rodrigo Rollemberg acompanhou o primeiro dia de aula nesta sexta-feira (10)

O primeiro dia do ano letivo para os alunos da Estrutural, nesta sexta-feira (10), foi marcado pela reabertura da Escola Classe 1. A unidade estava fechada desde maio de 2012, após constatação de vazamento de gás metano.

Os alunos da Escola Classe 1 da Estrutural puderam voltar a estudar mais perto de casa após a instalação de filtros de ar no local. O governador Rollemberg acompanhou o primeiro dia de aula nesta sexta-feira (10).
Os alunos da Escola Classe 1 da Estrutural puderam voltar a estudar mais perto de casa após a instalação de filtros de ar no local. O governador Rollemberg acompanhou o primeiro dia de aula nesta sexta-feira (10). Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Durante esse período, os estudantes passaram por quatro mudanças de endereço até, finalmente, em 2015, serem transferidos para um prédio alugado no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). “Finalmente essas crianças voltam a estudar perto de suas casas, com mais conforto e segurança para elas e suas famílias”, disse o governador Rodrigo Rollemberg. O chefe do Executivo local acompanhou na manhã de hoje a volta às aulas na instituição.

A unidade atende 1,1 mil estudantes da educação infantil e do ensino fundamental até o 3º ano e conta com 54 funcionários. Em relação à estrutura, são 24 salas de aula, oito distribuídas em biblioteca, audiovisual, espaço reservado para professores e suporte administrativo; e seis banheiros.

Instalação de filtro de gás metano

A Escola Classe 1 foi construída em 2004 ainda em madeirite. Dois anos depois, recebeu estrutura de alvenaria, mas, em seguida, começaram os problemas com o lixão subterrâneo. A questão se agravou em 2012, quando o local foi interditado por segurança. À época, alguns professores e alunos alegaram ter passado mal após longos períodos de permanência na unidade.

Em outubro de 2015, a Secretaria de Educação iniciou a instalação de equipamento para filtragem do ar para garantir a segurança dos profissionais e dos alunos. Foi construída uma tubulação por onde passa o metano bombeado. O gás, então, é levado para os filtros de tratamento. O investimento aproximado foi de R$ 500 mil em obras para a instalação e manutenção dos equipamentos.

“Tanto a empresa responsável pelo serviço quanto os bombeiros vão fazer vistorias periódicas e produzir um relatório mensal sobre a situação da escola”, destacou o major do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal Sinfrônio Lopes, coordenador de operações da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social.

Governo faz ações para evitar falta d’água nas escolas

O secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, também visitou a Escola Classe 1 da Estrutural hoje com o governador Rollemberg. Ele aproveitou para ressaltar o empenho do governo de Brasília em garantir a normalidade no abastecimento de água para as escolas da rede pública. “Fizemos um estudo e cerca de dez unidades vão receber caixas d’água nos próximos dias”, destacou.

Essa é a quantidade de escolas que estão nas áreas de racionamento de água. “Cada caixa custa de R$ 700 a R$ 1 mil dependendo da capacidade”, explicou. Gregório ressaltou ainda que a instalação conta com o apoio da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). Enquanto isso, a empresa pública fornece água via caminhões-pipas para essas escolas.

Edição: Paula Oliveira

Galeria de Fotos

Com vazamento de gás controlado, Escola Classe 1 da Estrutural inicia ano letivo