30/3/17 9:53
Atualizado em 30/3/17 às 15:57

Regimento interno das administrações regionais contribui para profissionalizar gestão pública

Como parte desse processo do governo de Brasília para melhorar o atendimento à população, titulares dos órgãos e servidores passaram por capacitação na Escola de Governo na quarta-feira (29)

Com o objetivo de melhorar o atendimento à população, o governo de Brasília profissionaliza a gestão pública nas administrações regionais. Uma das formas de garantir isso é por meio da aprovação do Regimento Interno das Administrações Regionais.

Fizeram a abertura do Fórum de Administradores Regionais das Cidades do Distrito Federal o subsecretario de Administração Geral da Secretaria das Cidades, Marcello Nóbrega de Miranda Lopes; o secretário das Cidades, Marcos Dantas; e a presidente do Tribunal de Contas do DF, Anilcéia Machado, que introduziu os trabalhos.
Abriram o Fórum de Administradores Regionais das Cidades do DF o subsecretário de Administração Geral da Secretaria das Cidades, Marcello Nóbrega de Miranda Lopes, o secretário das Cidades, Marcos Dantas, e a presidente do Tribunal de Contas do DF, Anilcéia Machado, que introduziu os trabalhos. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Publicada no Diário Oficial do Distrito Federal de quarta-feira (29), a norma vincula, por exemplo, o conhecimento técnico ao exercício de cargos estratégicos nesses 31 órgãos.

Assim, funções como diretor de Obras ou chefe de Assessoria Técnica só poderão ser desempenhadas por quem tem formação e experiência comprovada na área.

Além disso, administradores regionais e servidores passaram por capacitação durante o Fórum de Administradores Regionais das Cidades do Distrito Federal, na quarta-feira (29), na Escola de Governo.

O encontro teve o intuito de aproximar os gestores de temas como tecnologia da informação, acervo arquivístico e ações de controle externo.

O regimento define as atribuições das diretorias, gerências e coordenações. Os encarregados de cada área têm informação sobre as responsabilidades que lhes cabe e sobre como cumprir as tarefas do setor. “Queremos profissionalizar a gestão pública e o Estado”, resume o secretário das Cidades, Marcos Dantas.

"Queremos profissionalizar a gestão pública e o Estado"Marcos Dantas, secretário das Cidades

O vácuo de procedimentos entre as gestões é outro problema em que a norma colocará fim. “Entre um governo e outro, perdemos a memória do que foi feito e a continuidade das ações”, explica Dantas.

Para evitar que isso ocorra, cargos de chefe de Assessoria de Planejamento e de ouvidor, por exemplo, serão desempenhados por servidores efetivos do quadro. “Será possível construir grupos de trabalho mais permanentes”, justifica o secretário.

Edição: Raquel Flores

Galeria de Fotos

Regimento interno das administrações regionais contribui para profissionalizar gestão pública