19/9/17 11:10
Atualizado em 29/9/17 às 10:59

Saneamento básico é tema de concurso para escolas

Podem participar unidades de ensino públicas e privadas do ensino fundamental e médio. Inscrições estão abertas até 25 de setembro

Escolas públicas e privadas de ensino fundamental e ensino médio podem se inscrever no concurso Saneamento Básico: Escola Cidadã. As propostas têm de ser enviadas até 25 de setembro.

A inscrição deve ser feita por meio de formulário eletrônico no site da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental do DF (Abes), promotora da iniciativa, com apoio do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

A redução do consumo de água, com modelos sustentáveis, que contribuam para o uso consciente do recurso, é um dos desafios para os concorrentes neste ano

O certame busca promover a melhoria do saneamento básico por meio de atividades de educação ambiental e de mobilização da comunidade escolar.

A redução do consumo de água, com modelos sustentáveis, que contribuam para o uso consciente do recurso, é um dos desafios para os concorrentes neste ano.

O outro propõe implementar a coleta seletiva, com a identificação da quantidade dos resíduos criados e as possibilidades de aproveitamento para reciclagem.

Todas os colégios que concluírem as fases definidas no edital serão considerados vencedoras e receberão certificado de reconhecimento da Abes com a Caesb — para o primeiro desafio — e com o SLU para o segundo.

São três etapas de escolaridade:

Etapa 1 – anos iniciais do ensino fundamental

Etapa 2 – anos finais do ensino fundamental

Etapa 3 – ensino médio

Os três projetos com melhor pontuação de cada uma delas, para cada um dos dois desafios, receberão prêmios em dinheiro. Os valores ainda serão definidos e dependem de patrocínio.

Para mais informações, acesse o edital.

De acordo com a diretora-presidente do SLU, Kátia Campos, este ano o Distrito Federal vivencia dois momentos muito singulares: a escassez de água e o fechamento do lixão da Estrutural.

Kátia conta que esses fatos foram levados em conta para a escolha do tema do concurso. O fechamento do lixão, defende a gestora, “é um movimento não só de governo, mas que deve incluir toda a sociedade de forma participativa e responsável”.

Quando a população separa o lixo, ajuda a cidade e também os catadores, diz a diretora-presidente do SLU. “Esta é uma oportunidade de exercer a cidadania: participar desse movimento de fechar o lixão e dar renda para os catadores.”

Alunos se conscientizam sobre consumo de água e reciclagem de lixo

Dez escolas de ensino público do DF foram vencedoras da primeira edição do concurso em 2016. Entre elas está o Centro de Ensino Fundamental 1 do Riacho Fundo II, que fez o projeto de coleta seletiva e captação de água da chuva.

De acordo com a professora Suzimara de Oliveira, de 51 anos, o trabalho ganhador deixou os estudantes muito orgulhosos e fez com que eles se conscientizassem sobre a importância de diminuir o consumo de água e de reciclar o lixo.

O dinheiro do prêmio foi investido no projeto, que continua até hoje na escola, onde também é cultivada uma agrofloresta.

Edição: Raquel Flores