10/1/18 17:10
Atualizado em 12/1/18 às 9:56

Metrô-DF compra 205 peças para manutenção de trens

Com a aquisição, empresa pretende evitar o sucateamento de veículos fabricados na década de 1990. Objetos foram vendidos pelo Metrô-SP e têm garantia de uso

A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) comprou 205 peças reservas para sistemas de tração, freio e acoplamento, entre outros, a serem usadas nos 20 trens da Série 1000 da empresa.

A aquisição custou R$ 4.104.206,57 e foi feita diretamente com a Companhia do Metropolitano de São Paulo, que tem trens similares aos da Série 1000 do Metrô-DF, fabricados pela antiga Mafersa, estatal paulistana fechada nos anos 1990. A previsão é que a remessa chegue em fevereiro.

Por se tratar de trens da década de 1990, muitas peças não estão mais disponíveis. “Além da oportunidade de adquirir peças que não são mais fabricadas, obtivemos uma economia de 80% em relação ao valor atualizado dos itens. Os trens vão continuar a ser operados com segurança”, garante o presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado.

Segundo o Metrô-DF, além de contratos que permitiram melhorar os serviços de reparação dos equipamentos, a companhia tem investido constantemente, desde 2015, na compra de peças reservas, como banco de baterias, rodas e borrachas de portas.

“Além da oportunidade de adquirir peças que não são mais fabricadas, obtivemos uma economia de 80% em relação ao valor atualizado dos itens”Marcelo Dourado, presidente do Metrô-DF

Antes daquele ano, costumava-se reaproveitar peças de um trem fora de operação. Órgãos de controle externo, entre eles o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), recomendaram a suspensão da prática.

“Com a compra dessas peças, o Metrô-DF deseja evitar o avanço no sucateamento dos trens. A vida útil de um trem é longa, desde que ocorra a adequada manutenção, seja preventiva ou corretiva”, diz a diretora técnica da empresa pública, Daniela Diniz.

Segundo a diretora, as peças foram inspecionadas por equipe técnica do Metrô-DF nas dependências do Metrô-SP e estão em condições operacionais, com garantia de três meses.