8/2/18 16:36
Atualizado em 8/2/18 às 17:12

Volume máximo de água obriga abertura das comportas da hidrelétrica do Paranoá

Medida, adotada em duas das três unidades, é necessária para evitar que a cota do lago ultrapasse o limite de 1.000,8 metros em relação ao nível do mar

Na manhã desta quinta-feira (8), duas das três comportas da Usina Hidrelétrica do Paranoá foram abertas em 10 centímetros. A medida atendeu o previsto na resolução da Adasa nº 27/2017, que define os níveis do Lago Paranoá para 2018.

Comportas da Usina Hidrelétrica do Paranoá foram abertas para manter o nível do espelho d'água dentro do limite.
Comportas da Usina Hidrelétrica do Paranoá foram abertas para manter o nível do espelho d’água dentro do limite. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

A Companhia Energética de Brasília, por meio da subsidiária CEB Geração, abriu as comportas para que a cota do lago não ultrapasse o limite de 1.000,8 metros em relação ao nível do mar. Na manhã de hoje, a medição registrava 1.000,65 metros.

Para a ação, segundo a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal foi acionado, pois faz parte do protocolo.

De acordo com a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), o volume escoado do Lago Paranoá não altera a capacidade de captar 700 litros por segundo da Estação de Tratamento de Água do Lago Norte.

Além disso, a água excedente retirada, por questões geográficas, não teria como alcançar os reservatórios de Santa Maria e do Descoberto.

Galeria de Fotos

Volume máximo de água obriga abertura das comportas da hidrelétrica do Paranoá