21/11/18 13:40
Atualizado em 21/11/18 às 17:18

Cerimônia de abertura das Paralimpíadas Escolares reuniu 1,9 mil pessoas em São Paulo

Sessenta e oito estudantes-atletas do Distrito Federal disputam medalhas. As atividades encerram sexta (23)

Na noite dessa terça-feira (20), a cerimônia de abertura da 12ª edição das Paralimpíadas Escolares reuniu 1,9 mil pessoas no Pavilhão Oeste de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

Entre dirigentes técnicos, atletas e representantes de diversos setores do paraesporte brasileiro, estiveram presentes 87 membros da delegação brasiliense e 68 estudantes-atletas do Distrito Federal.

"Temos nomes fortes na natação, no basquete, no atletismo e no tênis de mesa para cadeirantes"Carlos Ney, chefe da delegação brasiliense e professor da Secretaria de Educação do DF

Com apenas 15 anos, Élcio Cunha Pimenta Junior foi o escolhido para representar a equipe do DF, conduzindo a bandeira da unidade federativa na abertura. O atleta nadador foi medalhista nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens 2017.

Para ele, cada vitória representa um degrau rumo ao topo. “Minha expectativa é transformar o trabalho que venho desenvolvendo o ano inteiro em resultados positivos que ajudem tanto a mim, quanto a minha cidade a atingir o topo e as melhores colocações”, comenta o atleta de Brasília.

Os velocistas e medalhistas paralímpicos Mateus Evangelista e Verônica Hipólito foram os responsáveis por acender a pira.

As disputas começaram em 19 de novembro e encerram sexta-feira (23), no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo. O evento esportivo é o maior do mundo para pessoas com deficiência em idade escolar, de 12 a 18 anos.

As competições de atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado tiveram início nesta quarta-feira (21). Os oito esportes se juntam a judô, natação e tênis de mesa na composição das 11 modalidades ofertadas no campeonato.

O chefe da delegação brasiliense e professor da Secretaria de Educação do DF, Carlos Ney, comenta o desempenho dos jovens e a expectativa por bons resultados nas competições. “Como atingimos o terceiro lugar ano passado, a nossa expectativa é manter ou melhorar essa classificação este ano. Temos nomes fortes na natação, no basquete, no atletismo e no tênis de mesa para cadeirantes”, disse.

O Distrito Federal participa das Paralimpíadas Escolares desde 2006. Na última edição dos jogos, em 2017, o DF foi a terceira melhor equipe, com 58 medalhas — 21 de ouro, 18 de prata e 19 de bronze — e 379 pontos, apenas dois a menos que Santa Catarina, a segunda colocada. Os campeões foram os paulistas, com 458 pontos.

As Paralimpíadas Escolares 2018 são uma realização do Comitê Paralímpico Brasileiro e do Ministério do Esporte.

Edição: Marcela Rocha