28/11/18 13:02
Atualizado em 28/11/18 às 13:02

Jogos Escolares da Juventude: Brasília traz 38 medalhas

Melhor desempenho de alunos-atletas da rede pública foi na luta olímpica e no atletismo. Delegação do DF ficou em terceiro lugar no ranking nacional

Brasília ficou com 38 medalhas na etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude, em Natal (RN), para competições de alunos de 12 a 17 anos, de 12 a 25 de novembro. Foram 13 de ouro, 12 de prata e 13 de bronze.

Com esse resultado, o Distrito Federal figura em terceiro lugar no ranking do País, atrás apenas de São Paulo e do Paraná, segundo levantamento feito pelas próprias delegações, com base nos boletins oficiais.

Melhor desempenho da rede pública nos Jogos Escolares da Juventude foi no atletismo e na luta olímpica. Delegação do DF ficou em terceiro lugar no ranking nacional.
Melhor desempenho da rede pública nos Jogos Escolares da Juventude foi no atletismo e na luta olímpica. Delegação do DF ficou em terceiro lugar no ranking nacional. Foto: Vladimir Luz/Secretaria de Educação

Para o secretário-adjunto de Educação do Distrito Federal, Clovis Lucio da Fonseca Sabino, a participação dos brasilienses foi vitoriosa.

“A cada ano, fica muito evidente a evolução dos nossos atletas. O nível de rendimento comprova que o treinamento oferecido nos centros de iniciação desportiva não deixam nada a desejar ao das escolas privadas”, observou.

O atletismo e a luta olímpica foram as modalidades que trouxeram mais medalhas para a rede pública.  

Do Recanto das Emas, o Centro de Ensino Fundamental (CEF) 602 conquistou o ouro nos 400 metros, e o Centro Educacional (CEd) 104, duas medalhas de prata: uma nos 100 metros e outra nos 200 metros.

O CEd 5 Taguatinga levou o terceiro lugar no salto triplo, e o CEF Zilda Arns, no Itapoã, o bronze dos 400 metros.

Quadro de medalhas do DF nos Jogos Escolares da Juventude 2018

Natação14
Judô9
Atletismo6
Ginástica rítmica4
Luta olímpica3
Xadrez2
TOTAL38

Na luta olímpica, que contou com a participação de seis atletas — quatro deles da rede pública de ensino —, foram duas medalhas de prata nas competições individuais e uma de bronze na luta por equipe.

As disputas individuais foram vencidas por duas alunas de 12 a 14 anos: uma do CEF 2 do Paranoá, na categoria leve, e outra do CEF Cerâmica São Paulo, em São Sebastião, na categoria pesado.

Já o terceiro lugar por equipe, de 15 a 17 anos, veio de dois estudantes do CEF 1 do Paranoá (categoria leve), um do CEF Zilda Arns, no Itapoã (categoria pesado), uma do CEM 1 do Paranoá (categoria médio) e dois do SEB Dínatos (categorias pesado e médio)  este, da rede privada de ensino.

Modalidade

Medalha

Escola (pública)

Estudante

Atletismo 400 metrosOuroCEF 602 – Recanto das EmasRyan de Sousa Lima
Atletismo 100 metrosPrataCEd 104 – Recanto das EmasSabrina da Silva Costa
Atletismo 200 metrosPrataCEd 104 – Recanto das EmasSabrina da Silva Costa
Atletismo 200 metrosPrataColégio MilitarLeonardo Gama de Paula Cordeiro
Salto triploBronzeCEd 5 – TaguatingaAna Luiza Dantas do Nascimento
Atletismo 400 metrosBronzeCEF Zilda Arns – ItapoãMarina Severina Pereira de Siqueira
Luta olímpica individual (categoria leve)PrataCEF 2 – ParanoáBrenda Lorrany Dias dos Santos
Luta olímpica individual (categoria pesado)PrataCEF Cerâmica São Paulo – São SebastiãoThaís Tertuliano
Luta olímpica por equipe (categoria leve)BronzeCEF 1 – ParanoáUallace Barbosa dos Santos
Luta olímpica por equipe (categoria leve)BronzeCEF 1 – ParanoáGeovânia Marques Pereira
Luta olímpica por equipe (categoria pesado)BronzeCEF Zilda Arns – ItapoãFlávio Fecundes de Sousa
Luta olímpica por equipe (categoria médio)BronzeCEM 1 – ParanoáIsabela Alves Pereira

Para o técnico da luta olímpica do Distrito Federal, José Neto, essa foi uma conquista importante por ter sido a última chance na modalidade. Segundo Neto, a partir da próxima edição, ela será substituída pela luta greco-romana.

“O pódio veio com muita dificuldade, pois estávamos em uma chave composta pelos melhores do Brasil. Poderíamos até ter disputado a final, mas infelizmente uma das atletas teve uma contusão”, conta o técnico.

De 9 medalhas do judô, 2 ficaram com escolas da rede pública

Das nove medalhas do judô, duas vieram da rede pública: CEF 5 de Sobradinho (prata na categoria superligeiro) e CEF 405 Sul (bronze na categoria pesado).

Embora sem medalhas, as meninas do vôlei de praia, de 15 a 17 anos, retornaram para casa com o quarto lugar.

Já a equipe masculina de vôlei do Distrito Federal — formada por jovens talentos entre 15 e 17 anos do CEd 2 do Cruzeiro — voltou para a capital federal com menção honrosa.

Mesmo desclassificada e impedida de jogar uma das partidas, a delegação permaneceu na competição até o fim e acabou em sexto lugar de 12.