10/7/19 14:57
Atualizado em 10/7/19 às 15:00

Secretaria de Meio Ambiente realiza oficina sobre gestão sustentável de recursos naturais

Encontro visa avaliar a disponibilidade de água para os diversos usos e detectar os diferentes impactos ambientais

Oficina foi conduzida pelo professor da disciplina “Manejo de Bacias Hidrográficas” da UnB, Henrique Chaves | Foto: Secretaria de Meio Ambiente

 

A Secretaria de Meio Ambiente (Sema) realizou na manhã desta quarta-feira (10) a Oficina sobre Aplicação de Índices de Sustentabilidade nas Bacias Hidrográficas do Distrito Federal. O encontro teve o objetivo de avaliar a disponibilidade de água para os diversos usos e de detectar os diferentes impactos sobre os recursos ambientais, visando a gestão sustentável dos recursos naturais no Descoberto e Paranoá, as duas principais bacias do DF.

“Uma das linhas de ação desse estudo é a definição e aplicação de Índices de Sustentabilidade em bacias hidrográficas do DF, a serem utilizadas como ferramenta de planejamento para monitoramento e manejo das bacias, considerando, entre outros, aspectos de qualidade de vida, ambientais e econômicos”, explicou Jair Tannus, subsecretário de Gestão das Águas e Resíduos Sólidos da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), que abriu a Oficina.

O encontro foi conduzido pelo professor da disciplina “Manejo de Bacias Hidrográficas”, da Universidade de Brasília (UnB), Henrique Chaves. Participação da Oficina técnicos de órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), além de representantes da sociedade civil.

A Sema coordena o projeto para a implantação de boas práticas agrícolas, desenvolvimento de pesquisas e inovações que colaborem para uma melhor gestão, entendimento e intervenção no Descoberto e no Paranoá. As duas bacias são consideradas estratégicas para o abastecimento de água no DF.

A identificação da sustentabilidade integral das bacias é amparada em estudo de índices disponíveis na literatura internacional e considera, simultaneamente, aspectos hidrológicos, ambientais, humanos e de governança, além dos riscos associados à segurança hídrica. “Esse é um poderoso instrumento de tomadas decisões, fortalecendo as políticas públicas”, observa Jair Tannus.

A partir dos resultados do estudo e das contribuições obtidas na Oficina será definido o Índice de Sustentabilidade a ser aplicado nas Bacias do Descoberto e do Paranoá e em uma microbacia-alvo do Descoberto. Também será aplicado modelo computacional de avaliação de risco utilizando o índice de sustentabilidade.

“A partir desse trabalho, o DF passará a ter uma base de informações mais segura, e de forma regular, sobre a real situação da capacidade de suporte das bacias hidrográficas“, analisou a coordenadora técnica do Projeto CITinova, Nazaré Soares.

A Oficina sobre a Aplicação de Índices de Sustentabilidade nas Bacias Hidrográficas do DF está inserida no âmbito do Projeto CITinova, denominado GEF Cidades Sustentáveis, coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) é o responsável pela implementação dos recursos do GEF.

 

*Com informações da Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal