17/7/19 15:44
Atualizado em 17/7/19 às 15:44

Caesb torna-se referência em tecnologia de tratamento de água

Fabricante de membranas de ultrafiltração convida representantes do governo e da indústria para visita à ETA Lago Norte

Um ano e nove meses depois de instalado pela Caesb, o sistema de tratamento de água de Ultrafiltração por Membranas tornou-se referência no Brasil. Técnicos de diversas empresas de saneamento e pesquisadores já estiveram na Companhia para ver de perto o funcionamento do sistema.

Nesta quinta-feira (18), a partir das 13h, a empresa Dupont Water Solutions, representante da fabricante das membranas no Brasil, vai reunir integrantes do governo, da indústria e das empresas de saneamento para uma visita à planta de tratamento de água por ultrafiltração da ETA Lago Norte – uma das maiores do Brasil com uso exclusivo desse tipo de tecnologia. 

No encontro, técnicos discutirão a experiência na adoção de novas tecnologias para o saneamento e posicionamento da indústria em relação à crise hídrica, entre outros temas.

O processo de tratamento de água por membranas de ultrafiltração apresenta várias vantagens, como o elevado nível de remoção de contaminantes. 

O tempo de execução de obra e o tamanho do terreno, por exemplo, foram determinantes para a escolha do sistema. Construída no período do racionamento, a ETA Lago Norte foi a solução encontrada para abastecer parte da população de Brasília com água do Lago Paranoá.

Devido à situação emergencial, a obra precisava ser rápida. Por essa razão, optou-se pelo sistema de membranas de ultrafiltração, que não exige uma área muito grande para a instalação – nem demanda uma obra civil demorada. 

Em tempo recorde, apenas cinco meses, a ETA Lago Norte começou a operar com 630 módulos de membrana. Atualmente, são captados, tratados e distribuídos 700 litros por segundo para as regiões do Lago Norte, Itapoã, Paranoá, Varjão, Taquari e parte de Sobradinho e da Asa Norte.

Qualidade da água
Mas a grande vantagem do sistema de ultrafiltração por membranas é a qualidade da água. “Esse sistema dá uma segurança muito grande para a população, independentemente da época do ano. Nos métodos convencionais, há variação de resultados a depender do período e é preciso usar mais produto químico”, explica a engenheira química Cláudia Simões, coordenadora de Operação da Caesb responsável pelo sistema.

Foto: Marco Peixoto/Caesb


As membranas de Ultrafiltração eliminam contaminantes por um mecanismo simples de exclusão por tamanho.

Uma diferença de pressão torna possível a operação. A membrana apresenta um tamanho de corte de 0,030 micros e retém microorganismos (vírus, bactérias, protozoários como Giardia e Cryptosporidium), partículas, sólidos em suspensão, entre outros, gerando uma água tratada de excelente qualidade. 

O uso de produtos químicos se restringe ao processo de limpeza das membranas e aos itens obrigatórios para garantir a potabilidade da água, segundo a legislação.

Além da ETA Lago Norte, o sistema de tratamento de Ultrafiltração por Membranas também é usado na ETA Gama, inaugurada em dezembro de 2018.

Há estudos na Caesb para adotar a tecnologia de ultrafiltração na ampliação de estações de tratamento, mas tudo em fase de projeto.