17/7/19 18:02
Atualizado em 17/7/19 às 18:02

Hair Brasília aquece mercado da beleza no Distrito Federal

Empresários aproveitam feira do segmento para lançar marcas e produtos diferenciados no setor de cosméticos

Cerca de 70 mil pessoas, de consumidores a profissionais da área de beleza, visitaram a 10ª Hair Brasília – que aconteceu de domingo a terça-feira no estádio Mané Garrincha.  A maior feira de beleza do Centro-Oeste reuniu 160 estandes, que comercializaram mais de 400 produtos. O volume de vendas pode ter ultrapassado R$12 milhões. 

O evento proporcionou mais oportunidades de negócios e divulgação de produtos diferenciados no mercado – como aconteceu, por exemplo, com o empresário Diogo Lemos. Ele é vendedor há duas décadas, mas há cinco anos deixou de ser representante de purificadores de água para se dedicar à produção e vendas de cosméticos e maquiagem. “Estamos vendendo a preço de custo com objetivo de divulgar o produto. Nesse sentido, a feira está ajudando bastante nossos negócios”, revelou o empresário, que tem uma loja na Vicente Pires.

 Quem também comemorou foi o dono da empresa Camaleão Color, Rainer Nascimento. A empresa dele foi a primeira a trazer para o DF as tinturas orgânicas para cabelo. “Esse produto não é testado em animais e nem produzido a partir de qualquer composto animal. Sua composição não exige nada que agrida o meio ambiente. Isso é um diferencial”, explica o empresário. Ele produz as tinturas em Águas Claras.

 Diversos produtos e técnicas para deixar as pessoas mais satisfeitas com a estética e a beleza da pele e cabelo foram lançadas durante a Hair Brasília. Uma das novidades apresentada foi a micropigmentação da pele, mais conhecida como bbglow. 

“Esse tratamento serve para cobrir permanentemente as manchas na pele, cicatrizes de acne e olheiras. A novidade estourou no país e estamos trazendo para Brasília”, explicou a empresária de Goiânia Glória Márcia.

A Hair Brasília também cumpriu importante papel social. A entrada no evento foi condicionada à doação de um quilo de alimento, medida que resultou na arrecadação de 40 toneladas de produtos. “Pelo menos 40 instituições como creches para crianças carentes ou em situação de abandono receberam essa doação”, explicou Erika Lobo, diretora do sindicato das empresas do comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e higiene pessoal (Sindibele).

* Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Econômico