27/8/19 11:04
Atualizado em 27/8/19 às 11:05

Região do Pipiripau ganha quatro viveiros. Brasília Moto Capital doou material

A proposta é transformá-los em espaços para vivências de educação ambiental e fornecer mudas para as ações de recomposição de vegetação local

O Projeto Produtor de Água do Pipiripau inaugurou quatro viveiros na bacia do Pipiripau.Parte do material dos espaços foi patrocinada pelo Brasília Moto Capital.

Os locais contemplados foram a Escola Classe Santos Dumont; o Centro Educacional Pipiripau II; a Associação dos Produtores Agroecológicos do Alto São Bartolomeu (Aprospera); e a propriedade do agricultor Vital de Morais Andrade, no Núcleo Rural Taquara. O viveiro da associação comporta até 12 mil mudas; os demais, 6 mil.

Inauguração do viveiro de mudas na Escola Classe Santos Dumont, no Pipiripau – Foto: Emater-DF

A proposta dos viveiros é ser locais para vivências de educação ambiental para as crianças e para a comunidade, além de fornecer mudas para as ações de recomposição de vegetação nas áreas atendidas pelo projeto Produtor de Água do Pipiripau.

“Apesar de as crianças viverem aqui na comunidade, em volta do Cerrado, muitos não tinham tido a oportunidade de plantar. Agora, eles estão muito interessados”, afirmou a vice-diretora da Escola Classe Santos Dumont, Juliana Macedo.

A montagem desses viveiros foi uma resposta à demanda dos agricultores atendidos pelo projeto. Cada local tem como contrapartida a doação das sementes. E claro, a semeadura e a manutenção das mudas, até que alcancem o tamanho certo para o plantio.

Entre alunos que nunca tinham plantado e outros que já tiveram essa oportunidade, Ytallo Fernandes de Aguiar, do Pipiripau, se destacou como o ‘plantador’ da sua turma. 

Junto com sua família, ele plantou mais de 40 frutíferas em sua chácara. “A ideia foi dos meus avós, para a gente ter frutas perto e não precisar ir à cidade comprar”, explica o jovem.

“A importância de a gente ter as áreas cuidadas, as margens dos córregos reflorestadas é para que vocês tenham a oportunidade de ter água e água de qualidade. É pra isso que a gente trabalha”, disse o superintendente de Planejamento e Programas Especiais da Adasa, José Bento da Rocha.


O projeto

O Produtor de Água no Pipiripau tem como parceiros a Agência Nacional de Águas (ANA), Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), as secretarias de Agricultura e de Meio Ambiente do Distrito Federal, Caesb, DER-DF, Emater-DF, Instituto Brasília Ambiental, Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste, Banco do Brasil, Fundação Banco do Brasil, Rede de Sementes do Cerrado, as ONGs TNC, WWF e Pé de Planta, Embrapa e Universidade de Brasília.