4/12/19 18:36
Atualizado em 4/12/19 às 18:53

Mostra de arte e cultura divulga iniciativas de sucesso em Taguatinga

Projetos das escolas públicas da região administrativa foram apresentados no Teatro da Praça

| Foto: Secretaria de Educação / Divulgação

A I Mostra de Arte e Cultura reuniu projetos pedagógicos desenvolvidos nas unidades escolares de Taguatinga. A iniciativa, realizada no Teatro da Praça, busca o compartilhamento de experiências, talentos e cultura, como lembra o coordenador Juscelino Nunes de Carvalho.

Entre os trabalhos apresentados, os desenhos da estudante Karolayne Mota de Souza, do Centro Educacional (CED) 02 de Taguatinga (Centrão), despertavam a atenção. “Passei por situações difíceis, tive depressão e encontrei na arte uma maneira de extravasar a dor, principalmente por meio dos meus desenhos. A escola me abriu muitas portas”, afirmou a jovem.

“Um professor viu os desenhos da Karolayne e a encorajou a expor seus trabalhos. Em pouco tempo, suas obras fizeram parte de uma exposição. Além de ótima desenhista, ainda é poetisa, compositora e dançarina”, elogiou o coordenador pedagógico do CED 02, Wellington Tito.

Com o incentivo da escola, ela já tem planos para o futuro. “Quero cursar Artes Visuais, farei o Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] e, se Deus quiser, serei uma grande professora”, assegura.

Leveza na ponta dos pés

Enquanto a exposição de trabalhos artísticos era visitada pela comunidade escolar, o tablado do Teatro da Praça recebia as bailarinas da Escola Classe (EC) 11 de Taguatinga. A estudante Dalila Souza, 10 anos, ia pisar em um palco pela primeira vez e demonstrava todo seu entusiasmo.

“Nunca tinha feito balé, agora tenho o sonho de me tornar uma bailarina”, contou.

| Foto: Luiz Tavares / Secretaria de Educação

O projeto Lendo, Escrevendo e Dançando (LED) foi idealizado pela professora Maria Cláudia Rebouças e concretizado na Sala de Leitura da EC 11. A partir da leitura de uma obra literária e da audição da obra de Tchaikovsky, as estudantes escolheram como inspiração “A Chinesinha”, da suíte Quebra-Nozes, e criaram “A Chinesinha Bailarina”. Além de ilustrarem a obra, com a direção da professora, foi criada uma coreografia.

“Inicialmente, muitas alunas estavam travadas porque nunca haviam dançado balé. Comecei, então, com cantoras populares como a Ludmila. Foi preciso um trabalho de autoestima e empoderamento para que elas pudessem mostrar todo o potencial. Colocamos um espelho na sala de leitura para que as leituras fossem feitas oralmente e elas pudessem se ver”, explica Mária Cláudia.

A estratégia deu certo e o Corpo de Baile foi aplaudido com entusiasmo pela plateia.

| Foto: Luiz Tavares / Secretaria de Educação

A programação extensa, na segunda-feira (2), contou com apresentações de dança, musicais como o da Escola Classe 54, “Sou filha de Portugal”, cosplays e shows da Banda Meia Lua, vencedora da última edição do Festival de Música de Taguatinga, entre outras atrações.

A exposição dos trabalhos dos estudantes atendidos nas altas habilidades impressionou a comunidade escolar pela criatividade e pelo talento. Os estudantes da rede pública de ensino com superdotação recebem um atendimento diferenciado a fim de estimular seu potencial.

A cada ano os trabalhos são expostos para o compartilhamento dos projetos desenvolvidos nos atendimentos. Em 2019, a exposição foi ampliada e também contou com outros trabalhos que obtiveram destaque nas escolas de Taguatinga.

 

* Com informações da Secretaria de Educação