4/12/19 15:39
Atualizado em 4/12/19 às 15:39

Professores debatem novo Ensino Médio

Mais de 200 contribuições ao tema foram objeto de análise por parte professores, servidores e entusiastas. Processo de inclusão da educação especial foi elogiado

As ações em torno do novo Ensino Médio continuam a todo vapor. Nesta quarta-feira (4), professores, servidores e entusiastas da educação se reuniram para debater resultados da primeira consulta pública do Currículo em Movimento das escolas-piloto do Novo Ensino Médio. O evento aconteceu no auditório do Centro Universitário Iesb, da Asa Sul. Essa primeira etapa da pesquisa teve 219 contribuições durante os 25 dias que esteve online no site da Secretaria de Educação.

“A equipe do Ensino Médio trabalha há anos nessa construção do novo currículo. Foram centenas de reuniões para que o processo seja democrático. Queremos um currículo justamente com essa característica”, destaca Helber Vieira, subsecretário de Educação Básica (Subeb) da SEEDF.

O material da consulta será encaminhado para um grupo de leitores críticos no dia 18 de dezembro. Eles terão até 31 de março de 2020 para entregar uma versão a partir das sugestões com ações para a implementação do Novo Ensino Médio.

O texto passará por nova consulta em maio do próximo ano. Professores, estudantes, pais, profissionais da Secretaria de Educação e outras pessoas interessadas no tema poderão participar novamente com sugestões para o novo currículo.

Durante essa primeira reunião de devolutivas, foi destacada a importância do processo de inclusão da educação especial no Novo Ensino Médio e de outras ações para fortalecimento das especificidades de grupos sociais e culturais no dia a dia dos estudantes.

 “Os itinerários formativos vêm para  observar as mais diversas temáticas e especificidades, observando a realidade de cada comunidade e os anseios dos estudantes”, afirma  Fernando Wirthmann, diretor do Ensino Médio da Secretaria de Educação.

 Mudanças
A implementação do novo Ensino Médio ocorrerá no ano que vem em cinco escolas-piloto. Em 2022, será estendida para toda a rede pública e particular do Distrito Federal. Já está definido que o novo modelo de Ensino Médio, instituído por legislação federal, trará uma série de inovações, incluindo o currículo, que deverá passar por adaptações.

Uma das principais mudanças do Novo Ensino Médio é o estímulo à participação estudantil e a interdisciplinaridade entre as áreas do conhecimento, possibilitando que o aluno tenha melhores condições de fazer interligações entre os saberes.

A carga horária, que hoje é de 3.000 horas, será dividida em dois blocos indissociáveis: a Formação Geral Básica (FGB), com 1.800 horas e os Itinerários Formativos (IF), com 1.200 horas.

 Haverá a oferta de itinerários formativos de acordo com a disponibilidade da rede de ensino e a realidade de cada escola e comunidade. Quatro deles estão relacionados às áreas do conhecimento e servirão para que o estudante aprofunde aspectos dos temas pelos quais mais se interessar. O quinto itinerário será o da Educação Profissional.

Para saber mais, acesse o site sobre o Novo Ensino Médio.

* Com informações da Secretaria de Educação