6/12/19 17:08
Atualizado em 6/12/19 às 17:08

Fim de semana animado para os amantes da arte

Cine Brasília apresenta a mostra Sucessos de Bilheteria, com os destaques do ano. Outra opção, em uma programação variada, é uma exposição de Pop Art na Galeria Athos Bulcão

Os equipamentos culturais da Secretaria de Cultura de Economia Criativa do Distrito Federal estão repletos de opções de diversão e arte, para todos os públicos, neste final de semana. O destaque fica por conta da exposição Produtos & Marcas, do artista Paulo Maurício, na Galeria Athos Bulcão. A mostra contempla um processo de experimentações por diferentes ângulos da pintura, com referências do Pop Art, com objetos reutilizados e reciclados.

Outra atração imperdível é a edição especial do projeto Sucessos de Bilheteria, no Cine Brasília. O público poderá conferir novamente ou ver pela primeira vez os maiores sucessos no local neste ano, com exibições dos longas nacionais Bacurau, Divino Amor e Estou me guardando para quando o carnaval chegar. Os outros espaços têm espetáculos de dança, espetáculos teatrais e oficinas.

Confira a programação completa:

Cine Brasília

Sucessos de Bilheteria

Os sucessos de bilheteria de 2019 voltam à tela do Cine Brasília na programação deste final de semana (7 e 8). Os espectadores poderão assistir novamente aos filmes nacionais Bacurau, Divino Amor e Estou me guardando para quando o carnaval chegar.

Programação:
Sábado, 7, e domingo, 8.
16h – Estou me Guardando pra Quando o Carnaval Chegar
18h – Divino Amor
20h – Bacurau.
Ingressos a R$ 6, preço fixo (a bilheteria só aceita dinheiro). 

 

Biblioteca Nacional de Brasília
Clube da Leitura
Na Biblioteca Nacional de Brasília (BNB), nesta sexta (06) a partir das 18h, no Foyer do Auditório ocorrerá a apresentação do Clube da Leitura. O Livro escolhido para discussão em agosto foi o “Quarto de Despejo- Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus Local: Foyer do Auditório da BNB”. Classificação indicativa livre e entrada franca.

 

Complexo Cultural Samambaia

Oficina de dança Corpitchos
7/12, às 15h
Oficina de dança contemporânea para crianças.
Classificação indicativa: crianças de 7 a 14 anos.
Entrada: Contribuição voluntária.

 

Espaço Cultural Renato Russo
Teatro
1ª Mostra Mulheres Brincantes do DF
Sábado (7), às 20h
Domingo (8), às 19h

Com direção e dança de Camila Oliveira, Luciana Meireles, Júnia Cascaes, Leticia Coralina e Zé Regino, a inédita mostra é uma colcha de retalhos onde as quatro mulheres brincantes, quatro figuras encantadas, contam suas mitologias inventadas no mundo, histórias presentes na cidade de asas, do cerrado e do imaginário das tradições populares.
Entrada: R$ 20 (inteira), 12 anos – Sala Multiuso.

Teatro
Rinoceronte
Sábado (7), às 20h
Domingo (8), às 19h

A montagem é baseada na peça homônima, marco do Teatro do Absurdo, expressão artística de vanguarda no período pós 2ª Guerra. Na adaptação de Hugo Rodas, a peça navega na metáfora, que o autor, o romeno Eugène Ionesco, desenvolveu de uma atmosfera cínica, grotesca e inquietante, que remete ao efeito manada visto em muitas sociedades diante de poderes autoritários.
Entrada: R$ 20 (inteira), 16 anos – Teatro Galpão.

 

Espaço Oscar Niemeyer

Exposição Bio O Quê?

Reinaugurado no último mês de agosto, o Espaço Oscar Niemeyer recebe nova programação artística. Com lançamento previsto para a próxima quinta-feira (21), a nova atração do espaço cultural será a exposição Bio O quê?. De iniciativa conjunta da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, do Laboratório Ábaco e da Universidade de Brasília, a mostra retrata a Bioarte como meio de reflexão sobre a Bioeconomia.

Com obras de 26 artistas, conceitualmente alinhadas sob a tendência em voga da Bioarte, a Bio O quê? tem por finalidade levar o público a refletir sobre as relações sustentáveis entre o homem e o meio ambiente.

Até 21/1, entrada franca, livre. Terça a domingo, das 9h às 17h.

Galeria Athos Bulcão

Exposição Produtos & Marcas – Paulo Maurício

A exposição, de iniciativa da Secretaria de Cultura e realizada com recursos do Fundo de Apoio à Cultura – FAC faz referências à Pop Art, que contempla processo de experimentações por diferentes ângulos da pintura. Com as iniciais do nome do artista, a exposição Produtos & Marcas tem como elemento artístico o uso de cores primárias, assim como nos produtos de consumo de marcas populares, buscando as referências do estilo de arte consagrado na década de 50.

Em alusão a marcas que se popularizaram mundialmente, a exposição também faz uma homenagem à história do Fusca, automóvel lançado no Brasil pela Volkswagen no ano de 1959. Algumas obras do artista são réplicas do carro popular, feitas de material reciclado, pintados com as cores que marcaram o movimento artístico, caracterizando os temas relacionados ao consumo, publicidade e estilo de vida americano.

A exposição ficará aberta todos os dias de 27 de novembro a 10 de janeiro, das 14h às 19h, fechando apenas nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro. Entrada franca.

 

Memorial dos Povos Indígenas

O Memorial dos Povos Indígenas mantém até 31 de dezembro a exposição Menire Bê Kayapó Djàpêj (A mulher Kayapó e seu trabalho). Ela reúne rico acervo fotográfico distribuído em painéis temáticos e didáticos e composto também de elementos da natureza, como sementes, ervas, remédios e artesanato à venda. Horário de visitação: De terça a sexta-feira, das 9h às 17h; e sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h.

 

Museu Nacional da República

Exposições

Simbólico Sagrado (até 19/1)

Com curadoria de Thaís Darzé, Simbólico Sagrado selecionou 95 peças dos autores. “É um diálogo entre as obras de dois artistas negros, baianos, que tiveram o auge de suas produções durante as décadas de 1960 a 1980. Traduzem valores e posicionamentos muito semelhantes, ao defender e difundir cultura e legado dos povos africanos, pensando numa identidade genuinamente brasileira”, explica a curadora.

Almandrade (até 19/1)

Artista plástico, arquiteto, mestre em desenho urbano, poeta e professor de teoria da arte das oficinas de arte do Museu de Arte Moderna da Bahia e Palacete das Artes, Almandrade participou de várias mostras coletivas e individuais. Integrou movimentos de poemas visuais, multimeios e projetos de instalações no Brasil e exterior. É um dos criadores do Grupo de Estudos de Linguagem da Bahia que editou a revista Semiótica, em 1974.

Doações 2019 (até 19/1)

O público ainda poderá visitar, rever ou conhecer trabalhos de artistas que passaram pelo Museu Nacional da República este ano e cederam peças que agora integram o acervo do equipamento. Com o nome Doações 2019, visitantes apreciarão trabalhos de artistas consagrados como Yutaka Toyota, Sandra Mazzini, Ding Musa, Pedro Juan Gutiérrez, Gerson Fogaça, Lia do Rio, Nilce Eiko Hanashiro e Mila Petrillo, entre outros.

Manu Militão – Projeto Border (até 12/1)

O projeto Border, do artista Manu Militão, estreia no museu nesta terça (12). A mostra reúne as obras produzidas por ele durante uma viagem de motocicleta de Brasília até o Alasca, passando por 14 países. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Arno Fischer (até 5/1)

Exposição de fotografias em preto e branco do fotógrafo alemão Arno Fischer (1927-2011), do pós-guerra, contemporâneo do francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004). Os trabalhos mostram Berlim nesse período e série de fotografias Polaroid tiradas no jardim do artista.

Sábado e domingo, das 9h às 18h30, entrada franca, classificação livre.

Museu Vivo da Memória Candanga

Dia da Gravura em Brasília, dia 7/12, às 9h

A Casa Laranja do Museu Vivo, em parceria com o Instituto Gravura em Foco, celebram o Dia da Gravura em Brasília. O evento contará com exposição de gravuras, rodas de conversa com gravador e público em geral e troca e venda de participantes.

Exposição Image, Casa Azul – Dupla exposição dos artistas plásticos Pierre & Costerus

Candido Faria – Um brasileiro em Paris, Sala de Exposição
Composta de três acervos que dialogam entre si com a temática de memória, afetividade e registro do tempo. Apresenta registros de vídeos, objetos e exemplares de lambretas antigas. A mostra fica em cartaz até março de 2020.

Oficinas

O Museu Vivo da Memória Candanga continua com a programação fixa com cursos de costura, gravura, cerâmica, papel e da técnica pinhole. O local ainda abriga e exposição permanente Poeira, Lona e Concreto, e a Casa Verde recebe temporariamente a mostra Seu Pedro.

Confira os dias e horários das oficinas:

Oficina da Costura – Katy Ateliê – funcionamento de segunda a sexta-feira com turmas de 9h às 12h e 14h às 17h, sábado de 9h às 12h – Formando turmas em todos os horários.

Oficina da Gravura – quarta e sexta-feira – 9h às 12h e 14h às 17h.

Oficina de Cerâmica – quintas-feiras – 9h às 12h e 14h às 17h.

Oficina do Papel – Fundação Pedro Jorge – Quarta-feira de 14h às 17h.

Oficina de Pinhole – segunda, terça e quarta das 14h às 17h.