11/12/19 15:55
Atualizado em 12/12/19 às 12:45

Abertas mais de 6,2 mil vagas para cursos presenciais gratuitos

Há qualificações de mão de obra para o setor produtivo, por meio de formação específica. Inscrições já estão abertas

 

Por meio de uma parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAPDF), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-DF) lançou os dois primeiros editais do DF Inova Tech. A publicação dispõe sobre vagas nos cursos técnicos e de qualificação e aperfeiçoamento.

O programa vai reforçar a inovação e a qualificação de mão de obra para o setor produtivo, principalmente nas áreas voltadas à indústria 4.0, ampliando o alcance da educação profissional. Em três anos, serão 46,2 mil vagas gratuitas. Pelo menos 15% de cada turma será formada por estudantes de baixa renda. Os editais começarão em datas diferentes, de janeiro a agosto.

Os cursos, todos presenciais, são das áreas de automação industrial, construção civil, eletroeletrônica, energia GTD (geração, transmissão e distribuição de energia), energias renováveis, gráfica e editorial, metalmecânica e tecnologia da informação. Há opções nos turnos matutino, vespertino e noturno.

Cursos técnicos

As inscrições para os cursos técnicos vão até o dia 20 deste mês (sexta-feira). São 1.039 vagas, distribuídas entre as unidades do Setor de Indústrias Gráficas (SIG), do Gama e de Taguatinga. O início das aulas está previsto para 3 de fevereiro de 2020.

1.039 vagasTotal de vagas ofertadas para cursos técnicos

As vagas são para maiores de 16 anos que estejam cursando a partir da segunda série do ensino médio ou que tenham concluído os estudos em escola pública – ou na condição de como bolsista, em escola particular.

Com uma média de 800 a 1.440 horas-aulas (até dois anos e seis meses), os cursos técnicos têm currículo estruturado a partir das necessidades do mercado de trabalho. Ao término, o estudante recebe um diploma de habilitação técnica.

Na segunda fase, os candidatos terão de comparecer à escola indicada para fazer, em um computador, uma prova objetiva online de conhecimentos gerais de Português e de Matemática. As avaliações ocorrerão de 6 a 12 de janeiro de 2020 — a data varia conforme o curso escolhido. Os interessados responderão a 20 questões, e a correção será eletrônica.

A lista dos selecionados será divulgada em 16 de janeiro no site do Sistema Fibra/Senai. A matrícula para esses alunos começa em 20 de janeiro, na central de atendimento da unidade indicada. Se algum dos aprovados não tiver a matrícula confirmada, a vaga irá para o próximo candidato mais bem-colocado. O critério de desempate será a maior idade.

Qualificação e aperfeiçoamento

Os interessados em cursos de curta duração, que têm carga de 40 a 240 horas-aulas (dois meses, em média), poderão optar pelos de qualificação ou de aperfeiçoamento. A primeira modalidade tem o objetivo de inserir o aluno no mercado de trabalho ou de lhe permitir uma recolocação profissional. Já os cursos de aperfeiçoamento tratam da ampliação, complementação ou atualização de competências de determinado perfil profissional. Em ambos os casos, os concluintes recebem certificados.

São 3.431 vagas em cursos de qualificação e 1.811 nos de aperfeiçoamento, distribuídas nas unidades de Brasília, do Gama, de Sobradinho e de Taguatinga. Os candidatos devem ter pelo menos 16 anos completos e atender aos pré-requisitos específicos de cada curso, detalhados no edital.

No caso de pendência, o candidato será informado por e-mail e terá um dia útil para reenviar a documentação. Após o reenvio, nova análise será feita pela instituição. Persistindo a irregularidade, a inscrição será desconsiderada pelo Senai-DF e a vaga será colocada à disposição de quem ficou na fila de espera da inscrição.

Documentação

As inscrições são feitas apenas no site do Senai-DF, até as 23h59 do último dia previsto no edital. O candidato precisa preencher o formulário e anexar a documentação digitalizada. Devem ser digitalizados (frente e verso) documento oficial com foto, CPF, comprovante de residência e comprovante de situação escolar (declaração ou certificado e histórico escolar). Em seguida, o candidato receberá um e-mail confirmando a inscrição.

Candidatos que se inscreverem para as vagas destinadas ao público de baixa renda terão de comprovar tal condição apresentando o comprovante de inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal, disponível no site do Ministério da Cidadania. No ato da matrícula, terão de ser apresentados os originais e entregues as cópias dos documentos anexados no momento da inscrição.

Cada curso estabelece um período para os interessados se inscreverem.
As datas, bem como os editais, estão disponíveis na página das instituições envolvidas. Veja como fazer sua inscrição.

* Com informações do Sistema Fibra