18/12/19 15:12
Atualizado em 18/12/19 às 15:12

Brasília, a capital de todas as atividades esportivas 

Grandes eventos internacionais tiveram destaque em 2019, como o Grand Slam de Judô, a Liga das Nações e a Copa do Mundo Sub-17

A secretaria mantém 12 Centros Olímpicos e Paralímpicos no DF, com oferta de modalidades esportivas para mais de 40 mil alunos. Foto: Secretaria de Esporte e Lazer

O ano de 2019 foi marcado pelo retorno de grandes eventos esportivos ao Distrito Federal, que movimentaram a cadeia de negócios em diversos setores da economia e criaram inúmeros postos de trabalhos direta e indiretamente, além de beneficiar milhares de atletas e projetar a capital para o mundo.

Destaque para o número expressivo de 38 eventos nacionais e internacionais apoiados pela Secretaria de Esporte e Lazer. Cerca de meio milhão de pessoas prestigiaram, se divertiram e participaram de várias modalidades esportivas, que fizeram parte do calendário brasiliense. Para tanto, a pasta contou com mais de R$ 10 milhões em emendas parlamentares.

38eventos nacionais e internacionais foram apoiados pela Secretaria de Esporte e Lazer em 2019

Além dos grandes eventos, a Secretaria de Esporte e Lazer mantém 12 Centros Olímpicos e Paralímpicos no Distrito Federal, com oferta de diversas modalidades esportivas para mais de 40 mil alunos.

Programas de incentivo 

No rendimento, a Secretaria de Esportes e Lazer também apoia os atletas e paratletas do Distrito Federal por meio dos programas Compete Brasília e Bolsa Atleta.

No Compete Brasília, que incentiva a participação de atletas e paratletas em competições nacionais e internacionais, foram emitidas 2.565 passagens aéreas e terrestres, para os representantes do DF, das mais diversas modalidades, participarem de campeonatos em todo o mundo. Já o Bolsa Atleta patrocinou 224 atletas e paratletas.

Ao mesmo tempo que conseguimos trazer grandes eventos esportivos para Brasília, mantivemos o perfil social da Secretaria com os nossos 12 Centros Olímpicos e Paralímpicos, e ampliamos os atendimentos de atletas nos programas Compete Brasília e o Bolsa AtletaLeandro Cruz, secretário de Esportes

“A secretaria de Esporte e Lazer cumpriu a principal missão dada pelo governador Ibaneis Rocha, de transformar Brasília na capital nacional do esporte. Ao mesmo tempo que conseguimos trazer grandes eventos esportivos para Brasília, mantivemos o perfil social da Secretaria com os nossos 12 Centros Olímpicos e Paralímpicos, e ampliamos os atendimentos de atletas nos programas Compete Brasília e o Bolsa Atleta. Fazemos assim a vinculação fundamental entre o esporte social, o esporte de rendimento e os grandes eventos, estimulando o turismo, o desenvolvimento econômico e esportivo do Distrito Federal”, destacou o secretário Leandro Cruz.

Vários esportistas contemplados voltaram das viagens com títulos de campeões em suas modalidades e divulgaram o nome de Brasília por onde passaram. Destaque para Ângela Lavalle, do vôlei de praia, que além de receber o programa Bolsa Atleta, fez toda a preparação para os Jogos Pan-Americanos de Lima com passagens emitidas pelo Compete Brasília. Ângela  voltou do Peru com a medalha de bronze.

Caio Bonfim, apoiado pelos dois programas, conquistou a medalha de prata na marcha atlética 20 km do Pan-Americano. Ele é um dos principais nomes do país na modalidade.

Esporte para quem gosta

A cidade recebeu eventos para todos os públicos. Futebol, judô, vôlei de praia, canoagem e skate foram só algumas das modalidades que estiveram em Brasília para competições.

O Estádio Mané Garrincha recebeu 17 partidas em 2019. Diferente de 2018 recebeu jogos do Campeonato Brasileiro e da Seleção Brasileira. O amistoso entre Brasil e Catar reuniu mais de 34 mil torcedores, e Flamengo e Vasco, mais de 65 mil pessoas, um dos maiores públicos do Campeonato Brasileiro de 2019. A renda deste jogo foi de R$ 5.285.443,00.  

Além das partidas de futebol, o Parque da Cidade reuniu atletas de vôlei de praia para a primeira etapa da Continental Cup 2019 e a quarta fase do Circuito Sul-Americano de Voleibol de Praia.

Já o Ginásio Nilson Nelson recebeu a etapa feminina da Liga das Nações, durante o campeonato. O Brasil disputou partidas com as seleções da China, República Dominicana e Rússia. Em junho, foi a vez de o ginásio lotar para os jogos da seleção masculina.  Foram três dias com confrontos entre as grandes equipes do vôlei mundial: Brasil, Itália, Canadá e França.

No segundo semestre, o DF foi palco de dois grandes eventos internacionais. Sucesso de público e de organização, Brasília recebeu pela primeira vez um Grand Slam de Judô, nos dias 6, 7 e 8 de outubro, no Centro Internacional de Convenções do Brasil.

O evento terminou com 17 medalhas para os atletas nacionais, um dos melhores resultados em Grand Slans, com quatro medalhas de ouro, nove de prata e quatro de bronze. Nos três dias de evento, o CICB recebeu um público de cerca de 10 mil pessoas. Um feito que entra para a história do judô.

O Grand Slam de Judô deixa de legado o incentivo para a prática da modalidade no Distrito Federal. No próximo ano, todos os 12 Centros Olímpicos e Paralímpicos terão aulas de judô

O Grand Slam de Judô deixa de legado o incentivo para a prática da modalidade no Distrito Federal. No próximo ano, todos os 12 Centros Olímpicos e Paralímpicos terão aulas de judô. Segundo dados do Sportv, emissora que transmitiu a competição, no dia 8 de outubro, mais de 5,5 milhões pessoas foram impactadas pela transmissão ao vivo do evento.

“Nós fizemos uma das melhores participações do Brasil na história do evento. Isto foi fantástico para os atletas e para a torcida, que vibrou muito nas arquibancadas. E essa possibilidade dos nossos atletas brigarem por pontos dentro de casa, nesta reta final para a disputa de uma vaga olímpica, também é muito positiva. Eu tenho certeza que esse evento veio para fazer história e ficar em Brasília”, destacou o secretário de Esporte e Lazer, Leandro Cruz.

Copa do Mundo Sub-17

Depois foi a vez da Copa do Mundo Sub-17 agitar a cidade. O Distrito Federal recebeu 16 jogos do torneio. Entre eles, os jogos de abertura entre Brasil e Canadá, no dia 26 de outubro, as semifinais e a final, no dia 17 de novembro entre Brasil e México. Com quase 14 mil pessoas nas arquibancadas do Bezerrão, no Gama, a Seleção Brasileira derrotou a mexicana por 2 a 1 e comemorou o tetracampeonato mundial.

Com a realização do Mundial, o estádio do Gama ganhou um novo gramado, novos refletores, os bancos de reservas foram trocados e o Bezerrão está pronto para receber partidas das séries A e B do Campeonato Brasileiro de 2020. A competição foi transmitida para 161 países.