17/1/20 11:10
Atualizado em 17/1/20 às 12:02

Exibição de ‘Bacurau’ é o destaque da agenda cultural

Filme pode ser visto no Complexo Cultural Samambaia. Período de férias no DF conta com diversas atrações de entretenimento nos equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Os espaços culturais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec) continuam com ampla programação durante o mês de janeiro. Cursos de verão, oficinas e filmes premiados do cinema mundial são algumas das diversas atrações para o fim de semana.

Nesta sexta-feira (17), acontecerá, no Complexo Cultural de Planaltina, o Cine Clube CCP. O evento propõe uma sessão de cinema no horário do almoço, com sucessos do cinema mundial. A matinê se estenderá durante todo o mês, em celebração ao verão e ao clima de férias escolares. Com entrada franca e indicado para toda da família.

Na mesma onda do cinema, o Complexo Cultural Samambaia exibirá o sucesso de bilheteria de 2019 Bacurau, neste sábado (18), às 17h. A sessão noturna é a estrela do fim de semana e está aberta a venda de ingressos pela internet, através da plataforma Sympla. Para quem gosta de dança, o Centro de Dança oferece curso de dança afro contemporânea, pelo projeto Ylu Ara – Tambor do Corpo. Com entrada franca. Outros espaços oferecem à população do DF diversas opções de cultura e lazer, como espetáculos de música, peças teatrais e oficinas.

Confira as atrações do final de semana:

 

Complexo Cultural Samambaia

Bacurau 18/1 – 17h

Complexo Cultural Samambaia exibirá no próximo dia 18 de janeiro o filme brasileiro que conquistou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes, Bacurau. Dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles com distribuição da Vitrine Filmes (Brasil), Bacurau conta a história de moradores de um pequeno povoado do sertão brasileiro que descobrem que a comunidade não consta mais no mapa. A programação que começa a partir das 17h contará ainda com feira criativa, com artigos de artesanato, indumentárias, comidas veganas e outros, discotecagem, exibição do curta metragem Castigo e show com a banda Madamme Bovary. Local: Cine teatro Verônica Moreno do Complexo Cultural Samambaia

Data: 18 de janeiro de 2020 – Classificação Etária 16 anos

Entrada: 20,00, a inteira, e 10,00, a meia (ingressos a venda no Sympla) https://bit.ly/39Gx7BX

17/1 – 19h30– Exposição – Para Além das Algemas

Para Além das Algemas é uma exposição que revela parte das sensibilidades, afetos e angústias em imagens e poesias feitas por adolescentes e jovens que cumprem medida socioeducativa nas unidades de internação de Planaltina (UIP), Recanto das Emas (Unire), São Sebastião (Uiss) e Santa Maria (Uism).

Fruto de oficinas de formação do Projeto Onda / Vozes da Cidadania, uma iniciativa do Instituto de Estudos Socioeconômicos – Inesc que em 2019 atendeu cerca de 180 adolescentes e jovens nestas unidades. Entrada franca. Classificação livre.

19/1- Swing Samba

Roda de samba, apresentação de música popular. A partir de 12h até anoitecer, uma verdadeira maratona de samba. Entrada franca. Classificação livre.


Complexo Cultural de Planaltina

17/1 – Cine Clube CCP

O CCP recebe o evento Cinema ao Meio Dia que tem como objetivo exibir filmes no horário de almoço para quem trabalha por perto do Complexo. Entrada Franca. Classificação Indicativa Livre.

17/1 – Batalha de Rima

O Teatro de Arena reúne artistas de Rap Freestyle em uma batalha de MCs. Horário: 19h às 22h. Classificação: Livre. Entrada Franca.

19/1 – Concurso Talentos do Cerrado

Através de diversas manifestações culturais, inclusive com instrumentos eletroeletrônicos e equipamentos digitais, o concurso de talentos ofertará uma espécie de competição para os artistas inscritos, com uma premiação simbólica diluída em 3 categorias: Dança, Performance e Canto. Horário: 15h às 20h. Classificação: Livre. Entrada Franca.

Centro Cultural Três Poderes

Exposição Memorial Tancredo Neves

Exposição com documentos, objetos, fotografias e vídeos que detalham a trajetória do presidente Tancredo Neves. Local: Panteão da Pátria. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h as 18h, no dia 24 somente até as 12h. Horários: 9h às 18h.

Exposição Lúcio Costa

Exposição contendo cópias do croqui e do relatório do Plano Piloto de Brasília elaborados pelo arquiteto e urbanista Lucio Costa, fotografias de Brasília em diversas fase inclusive durante a construção e uma maquete escala 1:1000 que destaca a área do Plano Piloto. Local: Espaço Lúcio Costa. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 9h às 18h.

Exposição Interiorização da Capital

Exposição que contém 16 textos de diversos autores e narra o processo de interiorização da capital brasileira desde a colônia até a inauguração de Brasília. Local: Museu Histórico de Brasília. Entrada franca. Classificação Indicativa livre. Horários: 09h às 18h.

Centro de Dança

Ylu Ara – Tambor do Corpo 18/1

O Projeto Consiste na execução de oficinas nas temáticas de dança afro contemporânea, realizada num período de dois meses e mais uma série de apresentações performáticas.
Professores: Hosana Oliveira – Aline Marcimiano
Segundas das 20h às 22h, Sábados das 10h às 14h
Email: projetoobara@gmail.com
Valor: Gratuito

Oficina de Dança Contemporânea – Nível Avançado e Profissional – 17/01

Aula dedicada a aliar técnica e expressividade e ensinar aos alunos como adaptar nas rotinas coreográficas seu próprio toque pessoal. A atividade emitirá uma certificação da Universidade de Brasília pelo Coletivo de Documentação e Dança CDPDan aos alunos com mais de 75% das aulas assistidas.
Professora: Laura Virgínia
Sextas de 18h até 19h30
Valor: R$ 75,00/mês

Casa do Cantador

17/1 – 20h Repente Pé de Parede

O evento Repente Pé de Parede acontecerá na próxima sexta-feira (17), às 20 horas, na Casa do Cantador. A atração musical será a dupla de repentistas: Zé Emilson Ferreira do Ceará e Nelson de Pernambuco. Entrada Franca. Classificação livre.

Cine Brasília

O Cine Brasília conta com estreias de títulos emblemáticos para a programação desta semana. Dos dias 13 a 22 de janeiro, o público poderá conferir na telona os longas-metragens premiados nos principais festivais de cinema do mundo “Parasita” e “Synonyms”. Continua em cartaz o sucesso de bilheteria “O Farol”.

Programação:

13/1 a 22/1

16h – Parasita
18h15 – Synonymes
20h30 – O Farol
Serviço: Entrada paga, R$ 12 (inteira). Bilheteria só aceita dinheiro, não cartões.
Endereço: Asa Sul, entrequadra 106/107. Telefone: (61) 3244-1660.

 

Catetinho

Exposição Permanente – O Palácio de Tábuas

Reconstituição da vida cotidiana da casa durante o período da construção de Brasília, quando abrigou o Presidente Juscelino Kubitschek e seus assessores. Os móveis e objetos originais foram preservados. Horários: 9h às 17h. Entrada Franca. Classificação livre.

 

Espaço Cultural Renato Russo

Iª Mostra de Artes Visuais das Oficinas do Espaço (18/12 a 09/02)

Pintura, desenho, aquarela, ilustrações, história em quadrinhos, fotografia e muitos outros cursos foram oferecidos ao longo de 2018 no Espaço. Foram 187 oficinas ao longo de 12 meses, contando com a participação de 3817 alunos. Horário: a partir das 18h. Classificação: Livre. Gratuito.

17/1 

Seja: O Filme

20h
O documentário foi idealizado com o propósito de chamar a atenção da sociedade para questões importantes através de um olhar artístico, criativo e revolucionário. Demonstra o anseio que essa geração tem de transformar o atual mundo caótico e competitivo em um lugar de pertencimento e união. Entrada Franca, 12 anos – Teatro de Bolso.

17 a 19/1- Teatro – AB – Reação

Sex-sáb – 20h – domingo 19h

Com direção de Bruna Martini e grande elenco, o espetáculo com formato de show performático conta a história de quatro adolescentes que se juntam para formar uma banda de punk vegetariano, SHUNK. Nessa banda, eles lidam com o conflito de ser adolescente e reivindicam sua verdade de discurso no mundo. Entrada: R$ 30 (inteira), 14 anos – Teatro Galpão.

17 a 26/1 – Teatro – O Barbeiro de Sevilha  Sex-sáb – 20h – domingo 19h

Com direção de cena de Janette Dornellas e produção de Hyandra Ello, o espetáculo é uma produção da Confraria de óperas e conta a história de Fígaro, um barbeiro que faz de tudo na sua cidade! A trama começa com o Conde Almaviva, disfarçado como um pobre estudante, fazendo uma serenata sob o balcão de Rosina.
Entrada: R$ 30 (inteira), Livre – Sala Marco Antônio Guimarães

Achadouros – Teatro para Bebês

18 a 26/1 – Sábado e domingo, às 11h e 16h
As atrizes Caísa Tibúrcio e Nara Faria, na companhia do diretor teatral José Regino por meio de encenação poético-teatral, da exploração da linguagem não verbal e do conceito de ressignificação de objetos do cotidiano, propõe uma reflexão sobre a chegada do ser humano ao mundo e sobre sua capacidade transformadora e criativa. Entrada: R$ 30 (inteira), Livre – Sala Multiuso.

Espaço Oscar Niemeyer

Exposição Bio O Quê? (até 21/1)
De iniciativa conjunta da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, do Laboratório Ábaco e da Universidade de Brasília, a mostra retrata a Bioarte como meio de reflexão sobre a Bioeconomia.
Com obras de 26 artistas, conceitualmente alinhadas sob a tendência em voga da Bioarte, a “Bio O quê?” tem por finalidade levar o público a refletir sobre as relações sustentáveis entre o homem e o meio ambiente.
Terça a domingo: 9h às 17h
Classificação: Livre
Gratuito

Memorial dos Povos Indígenas

Agro não é Pop (até 16/2)

A exposição O Agro Não é Pop, do artista plástico indígena Denílson Baniwa. A mostra revela de forma sensível e simbólica a representação das propagandas em relação aos alimentos e o modo de vida do ser humano. Por meio de metáforas, misturando personagens de casos chocantes envolvendo índios, como a morte do Pataxó Galdino, o expositor guiou os educadores por suas pinturas, gravuras e retratos expostos no Memorial.
Também permanecem em cartaz as exposições Menire Bê Kayapó Djàpêj” (A mulher Kayapó e seu trabalho), e o Bosque das Línguas Indígenas.
Horário de visitação: Terça a sexta-feira, das 9h às 17h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h.
Classificação: Livre
Gratuito

Museu Nacional da República

Simbólico Sagrado (até 19/1)

Com curadoria de Thaís Darzé, Simbólico Sagrado selecionou 95 peças dos autores. “É um diálogo entre as obras de dois artistas negros, baianos, que tiveram o auge de suas produções durante as décadas de 1960 a 1980. Traduzem valores e posicionamentos muito semelhantes, ao defender e difundir cultura e legado dos povos africanos, pensando numa identidade genuinamente brasileira”, explica a curadora.

Almandrade (até 19/1)

Artista plástico, arquiteto, mestre em desenho urbano, poeta e professor de teoria da arte das oficinas de arte do Museu de Arte Moderna da Bahia e Palacete das Artes, Almandrade participou de várias mostras coletivas e individuais. Integrou movimentos de poemas visuais, multimeios e projetos de instalações no Brasil e exterior. É um dos criadores do Grupo de Estudos de Linguagem da Bahia que editou a revista Semiótica, em 1974.

Doações 2019 (até 19/1)

O público ainda poderá visitar, rever ou conhecer trabalhos de artistas que passaram pelo Museu Nacional da República este ano e cederam peças que agora integram o acervo do equipamento. Com o nome Doações 2019, visitantes apreciarão trabalhos de artistas consagrados como Yutaka Toyota, Sandra Mazzini, Ding Musa, Pedro Juan Gutiérrez, Gerson Fogaça, Lia do Rio, Nilce Eiko Hanashiro e Mila Petrillo, entre outros.

 

Museu Vivo da Memória Candanga

Exposição – Image, Casa Azul – Dupla exposição dos artistas plásticos Pierre & Costerus Cândido Faria – Um brasileiro em Paris, Sala de Exposição.

Composta de três acervos que dialogam entre si com a temática de memória, afetividade e registro do tempo. Apresenta registros de vídeos, objetos e exemplares de lambretas antigas. A mostra fica em cartaz até março de 2020.
O local ainda abriga e exposição permanente Poeira, Lona e Concreto, e a Casa Verde recebe temporariamente a mostra Seu Pedro.

Horário de funcionamento: Segunda a sábado, de 9h às 17h

O Museu Vivo da Memória Candanga continua com a programação fixa com cursos de costura, gravura, cerâmica, papel e da técnica pinhole.
Confira os dias e horários das oficinas:
Oficina da Costura – Katy Ateliê – funcionamento de segunda a sexta-feira com turmas de 9h às 12h e 14h às 17h, sábado de 9h às 12h – Formando turmas em todos os horários.
Oficina da Gravura – quarta e sexta-feira – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina de Cerâmica – quintas-feiras – 9h às 12h e 14h às 17h.
Oficina do Papel (Fundação Pedro Jorge) – Quarta-feira, de 14h às 17h.
Oficina de Pinhole – segunda, terça e quarta, das 14h às 17h.