22/1/20 18:46
Atualizado em 23/1/20 às 15:15

GDF financia contêineres para coleta seletiva

Com a verba, Secretaria de Meio Ambiente consolidará o Programa Coleta Seletiva Solidária em todos os órgãos públicos. Processo esperava conclusão havia mais de três anos

O Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria Executiva de Gestão Administrativa, autorizou a aquisição de contêineres (contentor móvel de plástico) e lixeiras identificadas com vistas ao atendimento do Projeto Coleta Seletiva Solidária. O programa tem parceria com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) para recolhimento dos resíduos recicláveis e sua destinação para cooperativas de catadores.

A empresa responsável pela produção do contêiner será a Contemar Ambiental Comércio de Containers LTDA, enquanto caberá à Pisom Distribuidora e Comércio de Produtos Eireli fabricar as lixeiras. O valor total estimado para o registro de preços dos materiais é de R$ 2,6 milhões (R$ 2.636.025,44). Já o valor da ata de registros de preços N° 0001/2020 é de R$ 1,5 milhão (R$ 1.524.297,20).

“Essa aquisição será um impulso para que 100% das nossas instituições participem do programa”Sarney Filho, secretário do Meio Ambiente

Serão produzidos 1.242 contêineres, com valor unitário de R$ 1,1 mil (R$ 1.125,00), e 3.704 lixeiras ao custo de R$ 34,30 a unidade.

O Coleta Seletiva Solidária tem ganhado cada vez mais força no GDF. Com o trabalho desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema), até 2019 foram atendidos 80% dos órgãos e entidades públicas que compõem o governo com treinamento dos funcionários e formação de Comissões Gestoras. A separação dos resíduos possibilita uma maior aferição de renda para os catadores de materiais recicláveis e a aquisição de contêineres e lixeiras adequadas facilitam esse processo.

“Muitas instituições ainda carecem desses equipamentos para efetivamente implementar a coleta seletiva solidária. E essa aquisição será um impulso para que 100% das nossas instituições participem do programa”, afirma o secretário do Meio Ambiente, José Sarney Filho.

De acordo com o secretário, lixeiras padronizadas, identificadas e em cores diferentes para resíduos recicláveis e orgânicos contribuem para uma rápida identificação visual. E, assim, melhoram a qualidade da separação dos resíduos. Da mesma forma, faz-se necessário o uso de contêineres diferenciados para cada tipo de resíduo, possibilitando o armazenamento e a coleta adequados.

Saiba mais sobre a Coleta Seletiva Solidária

 

* Com informações da Secretaria de Meio Ambiente