11/2/20 18:10
Atualizado em 11/2/20 às 18:10

Empresas apresentarão estudos para o Centro de Logística de Medicamentos do DF

Termo de Autorização para construção do complexo de saúde já foi publicado no Diário Oficial

A Secretaria de Projetos Especiais (Sepe) publicou no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (11) um Termo de Autorização para que quatro empresas apresentem estudos para a construção de um centro de distribuição, revitalização/modernização, operação e manutenção de rede logística de medicamentos, hemoderivados, vacinas, soros, insumos e itens de nutrição da Secretaria de Saúde (SES). As propostas serão desenvolvidas na modalidade de concessão administrativa e se basearão nessas análises de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica para a edificação.

As empresas aptas a apresentar os estudos são: RV Ímola Transporte e Logística LTDA; PVAX Consultoria e Logística LTDA; VTC Operadora Logística LTDA; Grupo NC, representado pelas empresas NC Participações S.A e Snellog Armazéns Gerais e Logística LTDA. O prazo para a entrega do material é de 120 dias, a contar a partir da publicação de hoje no DODF.

“Essas é uma das mais importantes metas para 2020. O Operador Logístico, como chamamos, dará mais qualidade à gestão dos insumos”Osnei Okumoto, secretário de Saúde

A Sepe faz a coordenação do desenvolvimento dos trabalhos junto às empresas autorizadas. Nessa fase do processo será desenvolvido o plano de negócios para o empreendimento.

“Nossa secretaria é responsável pela PPP [parceria público-privada] desse projeto, que será finalizado com a publicação do edital de licitação, quando todas as etapas do processo forem cumpridas”, explicou o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros.

O secretário lembrou que a situação da saúde pública do Distrito Federal é uma das prioridades da gestão Ibaneis Rocha. “E é por meio das parcerias com o setor privado que conseguimos buscar investimentos para o desenvolvimento da nossa região, nesse período em que todo o país vive uma escassez de recursos”, acrescentou Gueiros.

Carência

A proposta prevê centralizar e integrar todos os processos da cadeia de suprimentos e da cadeia de frios. Esta medida proporcionará ganhos específicos em relação ao controle de estoque, à movimentação, ao transporte e à rastreabilidade dos produtos, bem como à otimização dos espaços físicos, de forma a reduzir os custos com a operação logística da cadeia de suprimentos.

A Secretaria de Saúde reconhece a necessidade de mudança do modelo atual da gestão de cadeia. A ideia é alcançar o máximo possível de economia e de controle dos gastos, por meio da gestão integrada dos processos.

“Essas é uma das mais importantes metas para 2020. O Operador Logístico, como chamamos, dará mais qualidade à gestão dos insumos e fará uma melhor distribuição nos equipamentos de saúde, tornando a SES cada vez mais eficiente”, destaca o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

 

* Com informações da Secretaria de Projetos Especiais