13/2/20 19:12
Atualizado em 13/2/20 às 19:14

Companhia abriga moradores que viviam em áreas de risco

Quatro famílias que viviam em estado de vulnerabilidade no Sol Nascente e na Estrutural foram realocadas para locais seguros

Ana Paula da Silva: “Estou muito feliz e muito agradecida ao governo do Ibaneis Rocha, e também à equipe da Codhab, por terem me proporcionado essa bênção” | Foto: Codhab-DF / Divulgação

Desde o início da gestão, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab-DF) tem trabalhado para garantir mais qualidade de vida às famílias assentadas em zonas ambientalmente frágeis, impróprias para urbanização, e que vivem em situação de vulnerabilidade. Por este motivo, a companhia realizou a realocação de alguns moradores do Sol Nascente na manhã desta quinta-feira (13).

Para consertar falhas do projeto feito pela gestão anterior, a companhia precisou transferir três famílias em situação de vulnerabilidade que moravam no protótipo do Sol Nascente.

“O que estamos fazendo é uma questão humanitária. O novo conceito do governo Ibaneis e da companhia é tratar da melhor forma quem mais precisa”Wellington Luiz, presidente da Codhab

“Estou muito feliz e muito agradecida ao governo do Ibaneis Rocha, e também à equipe da Codhab, por terem me proporcionado essa bênção. Foi muito bom ter mudado para cá com os meus filhos. Aqui é muito maior, a estrutura é melhor e ainda tem área de lazer para as crianças”, declarou Ana Paula da Silva, uma das moradoras realocadas.

De acordo com o projeto inicial, o protótipo poderia abrigar apenas seis famílias. No entanto, com a intenção de poder atender e abranger mais pessoas, foram designadas 12 famílias para residir no local, o que ocasionou vários problemas. Com a realocação, essas pessoas vão passar a viver no Residencial Parque do Sol, na Quadra 700 do Sol Nascente.

“O que estamos fazendo é uma questão humanitária. O novo conceito do governo Ibaneis e da companhia é tratar da melhor forma quem mais precisa. Por este motivo pegamos essas pessoas que se encontravam em situação de vulnerabilidade e os realocamos em locais dignos”, explicou o presidente da Codhab, Wellington Luiz, que também esteve presente à realocação.

Moradores de Santa Luzia viviam em situação de “extrema vulnerabilidade”, como mostra a imagem | Foto: Codhab-DF / Divulgação

Realocação na Estrutural

Assessores da companhia também promoveram, no mesmo dia, a realocação da família de Daniel Pereira, que tem apenas sete anos e é portador de Síndrome de Down. Ele, mãe, padrasto e irmãos viviam em Santa Luzia, na Estrutural, em situação de extrema vulnerabilidade.

Além da Codhab, também estiveram presentes no local: Conselho Tutelar da Estrutural, DF Legal, Defensoria Pública, Secretaria de Justiça, Secretaria de Segurança Pública, Polícia Civil, Polícia Militar, Bombeiros Civis, Defesa Civil, Secretaria de Desenvolvimento Social, Companhia Energética de Brasília (CEB), Núcleo de Atendimento Disciplinar e Administração Regional da Estrutural.

Desde pequeno Daniel vivia em situação precária com sua família. Após diversas visitas da Codhab e do Conselho Tutelar, eles concordaram em ser realocados para imóvel temporário cedido pela companhia. Eles ficarão no local por seis meses e, após esse período, irão para a moradia permanente.

Leia também

“Estou feliz porque agora vou poder dar conforto aos meus filhos, e cuidar deles. Agradeço muito à Codhab por essa oportunidade de ficar aqui por um tempo, e depois ir para uma casa que será minha de verdade. Nem estou acreditando, parece um sonho”, emocionou-se Iramir Pereira, mãe de Daniel.

As chaves da casa que irá abrigar a família foram entregues pelo presidente da companhia, que declarou: “Desejamos que a senhora e sua família sejam muito felizes aqui. Vocês merecem viver de forma digna. Isso é direito de todos vocês”, afirmou Wellington Luiz.

* Com informações da Codhab-DF