17/2/20 18:10
Atualizado em 17/2/20 às 18:49

Escolas têm estruturas revitalizadas, ampliadas e até reconstruídas

Intervenções vão de reparos em telhados à reconstrução de cozinhas

Escolas de cara nova: paredes pintadas, pisos revitalizados, telhas trocadas depois de danificadas por chuvas, caixa d’água recuperada e diversos tipos de reforma na rede elétrica | Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Todas as 28 escolas geridas pelo Conselho Regional de Ensino (CRE) do Guará passaram por alguma intervenção para receber os alunos em 2020. As unidades de ensino da região – a maior parte delas com mais de 50 anos – receberam impermeabilização no telhado, troca de telhas, reformas de pisos e de banheiros. Em uma delas, a cantina será ampliada e está sendo totalmente reconstruída.

A regional é responsável pelas escolas públicas do Governo do Distrito Federal (GDF) no Guará I (10), Guará II (11), Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) (2) e Cidade Estrutural (5). “As intervenções se fazem constantes porque as unidades de ensino são antigas e estamos sempre nos mobilizando para atender as demandas”, explica o coordenador da CRE, Leandro Andrade.

A Agência Brasília percorreu algumas escolas do Guará I e II e encontrou paredes pintadas, pisos revitalizados, telhas trocadas depois de danificadas por chuvas, caixa d’água recuperada e diversos tipos de reforma na rede elétrica. Obras estruturantes também foram feitas, como a reforma dos banheiros de alunos no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 4, no Guará I. “Aqui o que a gente fez foi reforma, mesmo. Não foi só intervenção, não”, conta a vice-diretora Renata Nair da Costa.

Na escola há 20 anos e no segundo mandato como diretora, Jane Alves Barreto promove diversas ações para manter a escola bem apresentada e confortável aos 1,2 mil alunos do 6º ao 9º, divididos em três turnos. Com recursos do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF) e de emendas parlamentares, foram azulejadas as paredes dos banheiros masculino e feminino, colocados espelhos e trocado o piso.

Iluminação e segurança

Apesar de estar no Guará I, cerca de 95% dos alunos é da Cidade Estrutural – onde os índices de famílias vivendo em situação de vulnerabilidade e que sobrevivem da coleta seletiva de resíduos são altos. Para gerar economia e melhorar a iluminação dos espaços, todas as lâmpadas incandescentes foram substituídas por LED e os quadros de energia elétrica trocados.

| Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

“Queremos que nossos alunos tenham as melhores condições para estudarem”, diz Jane, que mantém a pintura da escola impecável com reproduções de artistas brasileiros e estrangeiros.

Cozinha

Com 1.249 alunos do 1º ao 3º matriculados em 2020, o Centro de Ensino Médio (CEM) 1, também no Guará, está com as pinturas das paredes e dos bancos do pátio novas. As das salas de aula também foram renovadas no final de 2019.

Para melhorar as condições de trabalho dos funcionários, as salas do Centro de Referência de Tecnologia de Educação do Guará, que funciona na unidade, está ganhando pintura, assim como a mecanografia.

| Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Mas a grande obra do CEM 1, na verdade, é a ampliação da cozinha. Toda a estrutura está sendo refeita enquanto a direção se articula para construir um refeitório. A partir de março, a unidade de ensino passará a funcionar em regime de ensino integral – daí a necessidade de reformulação dos espaços.

“Estamos tentando acelerar as obras para conseguirmos terminar até o final do mês que vem”, informa o vice-diretor Luiz Carlos da Silva.

Galeria de Fotos

Guará tem 100% das escolas revitalizadas