20/2/20 20:08
Atualizado em 21/2/20 às 11:52

Carnaval terá ação de combate à exploração do trabalho infantil

Equipes de abordagem social de rua da Sedes vão distribuir material explicativo nos principais pontos da folia

O Carnaval chegou e agora é cair na folia. É importante, porém, ficar atento a algumas situações irregulares envolvendo crianças e adolescentes, como a venda de bebida alcoólica ou a atuação como flanelinha ou, ainda, quando elas cobram passagens em transporte pirata. Sim, eventualmente você pode acabar pagando por esses ou outros serviços e nem percebe. Nesse caso, há alguém, em um gesto criminoso, explorando essa vulnerabilidade com um trabalho que pode até gerar risco.

Para sensibilizar os foliões sobre o assunto, a Secretaria de Desenvolvimento Social estará nos principais pontos carnavalescos do Distrito Federal para uma campanha de combate à exploração do trabalho infantil. Durante todos os dias de festa, as equipes do Serviço Especializado de Abordagem Social percorrerá os bloquinhos orientando as pessoas a não incentivarem esse mercado.

Conscientização

A ação é muito mais que panfletagem ou simples distribuição de material informativo. “É um trabalho com conscientização, no qual vamos falar sobre o conteúdo e chamar a atenção para a importância de ficar atento a essa questão”, enfatiza o secretário Ricardo Guterres. “Muitas vezes a gente não percebe que pequenos gestos favorecem o trabalho infantil, como dar a latinha vazia para a criança catadora”, explica. “É preciso pensar onde estão os pais dela, quem mandou ela fazer aquilo, os riscos de estar sozinha e em locais perigosos expostos a pessoas mal intencionadas, entre outros fatores”, complementa.

A ação é articulada com órgãos como Secretarias de Justiça e Cidadania, e de Cultura e Economia Criativa, além do Conselho Tutelar e demais órgãos de garantias de direito.

Quem presenciar alguma situação de exploração do trabalho infantil a recomendação é para não estimular essa prática. Além disso, o cidadão pode e deve informar aos seguintes órgãos competentes:

– Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA) – 3213-0741

– Disque 100

– Ouvidoria do GDF – 156

– Conselho tutelar da região

*Com informações da Sedes