3/3/20 13:19
Atualizado em 3/3/20 às 14:07

Cães levam alegria ao Hospital de Apoio e ao Hmib

Terapia com animais ajudam a aliviar o estresse de quem enfrenta, como paciente, a rotina de um hospital

Efeito da convivência com os bichinhos é a redução da dor, da ansiedade e da depressão | Foto: Geovana Albuquerque / Secretaria de Saúde

Dona Catarina Maria, de 71 anos, está internada no Hospital de Apoio por causa de um câncer na cabeça. Na semana do projeto Pet Amigo, ela já espera, ansiosa, pela chegada dos amigos de quatro patas. Ao ver os bichinhos entrarem pelo quarto, ela abre o sorriso e faz um pedido: coloquem os dois na minha cama.

Pedido atendido! A equipe de voluntários cobre o leito e logo a labradora Magali e a pequena Chanel vão para mais perto de Catarina. “Eles são meus amigos, meus anjos”, diz a paciente, que tão logo foi internada na unidade, há cerca de um ano, não queria ver os cachorros para não se apegar.

Entre os benefícios da visita estão redução da dor, da ansiedade e da depressão. “Alivia a tensão do ambiente hospitalar e faz eles se sentirem parte do mundo”, observa Heloisa Machado, do Núcleo de Educação Permanente em Saúde do Hospital de Apoio. Ela destaca que a visita dos bichinhos faz bem também para os servidores.

Para Raimunda Lima, em tratamento de um câncer de colo de útero, a visita trouxe um algo a mais: um misto de alegria e saudade. “Eu tenho um cachorro de oito meses e há pouco mais de dois meses eu não o vejo, desde que internei. Fiquei com saudade dele”, relatou, mostrando a foto do bichinho que ela chama de Rodolfo.

Projeto Pet Amigo é viabilizado por cães voluntários e seus donos | Foto: Geovana Albuquerque / Secretaria de Saúde

Segurança

A visita dos cães no Hospital de Apoio é a cada 15 dias, sempre nas tardes de quinta-feira, por meio do projeto Pet Amigo, formado por cachorros voluntários e seus donos. Para que possam participar, os bichinhos passam por análise comportamental e precisam ir a três visitas, acompanhados de um adestrador.

Tudo é feito seguindo normas internacionais para este tipo de terapia com animais. “Antes de entrarem e depois que saem, passamos no cachorro a clorexidina, que age como agente bacteriostático e bactericida. Também forramos a cama com TNT”, explica a coordenadora do projeto, Karoline Lazzarotto.

Projeto tem 40 cachorros cadastrados até o momento | Foto: Geovana Albuquerque / Secretaria de Saúde

Além do Hospital de Apoio, o Materno Infantil também recebe a visita, que acontece a cada 15 dias, aos sábados. “No Hmib, a gente fica no pátio e as crianças são levadas para lá. Elas ficam muito animadas, pois muitas lembram dos bichinhos que deixaram em casa enquanto estão internadas”, conta Karoline Lazzarotto.

Atualmente, 40 cachorros estão cadastrados no projeto. No Hospital de Apoio, podem ir cinco animais, no máximo, a cada visita. Já no Hmib, pode chegar até seis. Quem tiver interesse em ser voluntário e inscrever seu cachorro, pode entrar em contato com o projeto via redes sociais. Para acessar o site deles clique aqui.

“Para este ano, estamos avaliando a implantação da atividade assistida por animais. Vai funcionar de forma diferente, com pacientes pré-selecionados, como parte do tratamento”, adianta a coordenadora do Pet Amigo.

 

* Com informações da Secretaria de Saúde