7/3/20 10:49
Atualizado em 7/3/20 às 10:59

Mais 34 agentes são convocados e reforçam combate à dengue

Eles estavam em cadastro reserva e substituirão quem foi desclassificado por impedimento

Cursos de capacitação vão durar o tempo necessário para que os agentes estejam prontos para o serviço | Foto: Arquivo Agência Brasília

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta-feira (6) formaliza, em edição extra, a convocação de candidatos aprovados no cadastro reserva do processo seletivo temporário para contratação de agente comunitário de saúde e agente de vigilância ambiental em saúde. Ao todo foram chamados 34 classificados, em substituição aos candidatos convocados em 28 de fevereiro que tiveram algum impedimento para assumir a vaga. Os convocados deverão apresentar a documentação exigida em até cinco dias úteis, entre 9 e 13 de março, no Núcleo de Admissão e Movimentação, localizado no edifício-sede da Secretaria de Saúde.

Para atender aos candidatos de forma mais tranquila e organizada, a pasta dividiu por ordem alfabética os dias e horários de recebimento dos convocados. No turno matutino, o atendimento será das 8h às 12h; à tarde, das 13h às 17h.

Um total de 52.438 candidatos se inscreveram para o processo seletivo para escolher 600 agentes comunitários de saúde e de vigilância ambiental em saúde para o cargo temporário na Secretaria de Saúde. Segundo o edital, o contrato tem duração de seis meses.

Capacitação

Todos os 600 servidores aprovados na seleção passarão por capacitação a partir de segunda-feira(9). Divididos em duas turmas, eles terão aulas expositivas durante toda a semana, das 8h30 às 17h30.

Um grupo vai acompanhar as aulas entre segunda e quarta pela manhã, enquanto o outro inicia na quarta à tarde e encerra na quinta e na sexta pela manhã. Os cursos durarão até que os 600 profissionais estejam capacitados. Esses servidores irão percorrer as 33 regiões administrativas do Distrito Federal.

Eles reforçam o trabalho de fiscalização e orientação da comunidade do DF no combate ao mosquito transmissor da dengue. Serão envolvidos em atividades de campo para eliminar focos do inseto com a administração de produtos biológicos, visitas domiciliares, ações educativas e cadastro das famílias.

Ao todo, serão 50 profissionais para atuar no Gama, 50 em Santa Maria, 100 em Brazlândia, 100 na Fercal, 100 em Planaltina, 100 em São Sebastião, 50 na Vila Planalto e 50 no Guará II, em um total de 600 agentes.

Emergência

Em 24 de janeiro, o Governo do Distrito Federal declarou situação de emergência na saúde pública, pelo prazo de 180 dias, em razão do risco de epidemia por doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue, zika e chikungunya).

A situação de emergência foi formalizada em decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha e prevê a adoção de medidas administrativas para conter a possível epidemia. O documento tem como objetivo agilizar a aquisição de insumos e produtos e também a contratação de serviços e pessoal, resguardada a legislação vigente.

O combate à dengue é prioridade para o Executivo local, que desenvolve trabalho integrado com diferentes programas, secretarias e órgãos. A força-tarefa conta com salas de triagem; tendas de hidratação; vistoria com drones; mutirões com apoio do Corpo de Bombeiros; ações do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF); atuação do GDF Presente na remoção de entulhos e limpeza; sistema de alerta da Defesa Civil; remoção de carcaças nas ruas; apoio de líderes religiosos e da Polícia Militar do DF, entre outros.

* Com informações da Secretaria de Saúde