31/3/20 17:54
Atualizado em 31/3/20 às 17:59

Equipamentos de limpeza são repostos nos hospitais públicos do DF

Nova empresa repôs materiais retirados de forma indevida pela gestora anterior

Retirados de forma indevida dos hospitais, os materiais foram repostos sem prejuízo ao atendimento | Foto: Breno Esaki / SES

Os equipamentos de limpeza retirados sem aviso prévio de hospitais públicos do Distrito Federal pela empresa Ipanema foram repostos nas unidades de saúde, nesta terça-feira (31), sem prejuízo aos pacientes e profissionais de saúde.

Dispensadores de álcool em gel, lixeiras, sabonetes, papel higiênico e papel toalha foram trazidos, com antecedência, pela empresa BRA, vencedora do novo contrato com a Secretaria de Saúde (SES). O abastecimento ocorreu desde o período da manhã, para minimizar o impacto das retiradas dos equipamentos.

“Os serviços de higiene e limpeza estão plenamente estabilizados. A nova empresa fez a parte dela, em tempo hábil, repondo todo o material necessário”, afirmou Fernanda de Souza, diretora do Hospital Regional do Guará [HRGu], uma das unidades afetadas. “Graças à organização das equipes de saúde em relação às rotinas, os nossos pacientes não foram prejudicados.”

Entenda o caso

 A empresa Ipanema retirou vários equipamentos de limpeza de hospitais públicos na madrugada de segunda-feira (30), sob a alegação de ter perdido a licitação para continuar como gestora dos contratos de limpeza das unidades de saúde.

Contudo, foi descumprido o acordo firmado com a Secretaria de Saúde (SES), que previa aguardar a substituição, em tempo hábil, programada para esta terça-feira (31), dos materiais de limpeza que mantinha nesses hospitais.

“A empresa não esperou a transição ocorrer de forma, mas a situação foi normalizada a tempo, para não trazer prejuízos à população”, informou o secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Ricardo Tavares. “Ainda assim, pedimos desculpas aos pacientes e profissionais de saúde por qualquer transtorno, apesar de o problema ter ocorrido entre as empresas”, ressaltou.

A departamento jurídico da SES avaliará as medidas judiciais cabíveis a serem tomadas contra a Ipanema pela forma como atuou nesse episódio, considerada como uma atitude que colocou em risco a saúde de pacientes e profissionais de saúde nessas unidades.

* Com informações da SES