29/4/20 16:59
Atualizado em 29/4/20 às 19:40

Carcaças de veículos são retiradas do Plano Piloto

A próxima fase da Operação ocorrerá no Paranoá, na próxima segunda-feira (5)

Como parte das ações de combate à dengue no Distrito Federal, mais uma operação DF Livre de Carcaças foi realizada nesta quarta-feira (29). Desta vez, quatro veículos abandonados foram retirados das ruas do Plano Piloto.
A operação conjunta entre órgãos do Governo do Distrito Federal tem como objetivo eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya. Outros quatro veículos que seriam removidos, foram levados por seus proprietários.
A identificação dos veículos abandonados foi feita com o apoio dos Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs). Os pontos foram informados pelos Consegs durante reuniões, que ocorrem mensalmente.
A população e as administrações regionais contribuem muito com esse levantamento. Por isso, é tão importante a participação nesses encontros, que estão suspensos por conta do isolamento social, mas será informado quando voltarem a acontecer”, explicou o coordenador dos Consegs na SSP/DF, Marcelo Batista.
“Hoje mesmo retiramos uma carcaça que estava há anos em um estacionamento do Acampamento da Telebrasília, que servia não apenas como foco do mosquito, mas também de ponto de consumo de drogas, como relataram os moradores”, completou Batista.

Para o secretário de Segurança Pública, o delegado Anderson Torres, a ação evidencia a preocupação do GDF com o combate à proliferação do mosquito da dengue e também da capacidade de interação entre os órgãos. “Esta medida está sendo muito eficaz. Desde que iniciamos a operação, no inicio do ano, 244 carros abandonados já foram retirados das ruas da cidade. Os resultados são possíveis com o esforço concentrado e comprometimento de vários órgãos, cada um contribuindo na sua área”.

Para a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, a remoção sempre esteve entre as principais demandas da população. “Esta é uma ação que vai ao encontro das solicitações dos moradores e, além de manter a cidade limpa, é uma questão de saúde pública”.

As carcaças dos carros abandonados, provisoriamente foram levadas para o depósito do 3º Distrito Rodoviário, do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF), – próximo à Samambaia – onde os agentes de Vigilância Ambiental aplicam remédios na água parada e fazem o controle vetorial. Se os donos das sucatas se sentirem lesados e quiserem reaver os veículos, devem procurar a administração e comprovar, com documentos, a propriedade dos carros velhos.

Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF), a ação é resultado de uma parceria entre as secretarias executivas das Cidades e de Políticas Públicas, DF Legal, do Departamento de Trânsito (Detran-DF), da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), divisão da Secretaria de Saúde (SES). A Administração Regional do Plano Piloto apoiou a Operação.

Os proprietários que quiserem reaver os carros poderão retirá-los do depósito em até trinta dias. Caso não o faça, eles poderão ser prensados e vendidos em leilões para ferro-velhos. A próxima fase da Operação ocorrerá no Paranoá, na próxima segunda-feira (5).

* Com informações da SSP/DF