15/5/20 12:39
Atualizado em 15/5/20 às 14:33

Sanear-DF recolhe equipamentos e mobiliários sem uso em hospitais

Programa pretende ampliar áreas de circulação e até abrir novos leitos. Em Planaltina e Sobradinho foram retiradas mais de 500 peças que estavam se acumulando

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília
As equipes do Sanear-DF vão atuar, na tarde desta sexta-feira (15), na aplicação dos produtos de desinfecçãoem oito agências do Na Hora. Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

O programa Sanear-DF, coordenado pelas secretarias das Cidades e de Governo e pela Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), tem atuado na sanitização dos espaços públicos combatendo a proliferação da dengue e do novo coronavírus. E nesta semana, ele ganhou mais uma função: atuar dentro das unidades de saúde retirando inservíveis (mobiliários e equipamentos sem recuperação) com o objetivo de ampliar as áreas de circulação.

“A proposta é otimizar os espaços, inclusive com a possibilidade de abrirmos mais leitos”, explica o secretário das Cidades, Fernando Leite. Na segunda e terça-feira passadas, as equipes do Sanear-DF atuaram nos hospitais regionais de Planaltina e Sobradinho, por exemplo.

Nessas duas unidades foram recolhidos mais de 500 equipamentos sem uso, que estavam se acumulando. “Todos foram catalogados e encaminhados para o depósito da Secretaria de Saúde no SIA”, detalha Leite. Segundo ele, no futuro, com os recursos angariados na venda dos objetos, a população volta a ser beneficiada com a aquisição de novos equipamentos.  

Para o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Luciano Moresco, a ação é fundamental principalmente nesse momento de pandemia. “Esses materiais estão acumulando sujeira dentro das unidades e não têm mais serventia nenhuma”, diz. “Com a ajuda do Sanear, estamos melhorando os ambientes e aumentando a segurança de pacientes e servidores com áreas mais livres”, completa.

No cronograma de atividade das equipes, estão os 14 hospitais regionais, as unidades básicas de saúde (UBS) e, ainda, as unidades de pronto atendimento (Upas). Na próxima semana, eles devem voltar a atuar em Planaltina e, também, em Samambaia e Taguatinga.

Cautela

Para atuar nas unidades de saúde, as equipes do Sanear-DF foram treinadas pela Dival. “Tudo é feito dentro de um controle sanitário necessário para essa situação de pandemia. Todos estão usando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e foram treinados para atuarem dentro das unidades”, explica o chefe da vigilância ambiental, Edgar Rodrigues.

Nesta semana, nos dois hospitais regionais, dez trabalhadores e dois caminhões foram deslocados para cada ação. “O trabalho dentro de um hospital demanda uma operação cautelosa, para não expor ninguém a riscos”, acrescenta Fernando Leite. Ele ainda destaca que as equipes devem voltar aos dois locais até o final da próxima semana para sanitização dos espaços limpos.  

Na Hora

O secretário das Cidades, Fernando Leite, ainda destaca que nesta tarde desta sexta-feira (15), as equipes do Sanear-DF vão atuar na aplicação dos produtos de desinfecção em oito agências do Na Hora. “Já fizemos as 19 Agências do Trabalhador, e até o final da tarde deste sábado (16) faremos essas outras oito centrais de atendimento ao cidadão”, explica.

Na lista de serviços, estão as unidades do Na Hora em Brazlândia, Ceilândia, Gama, Riacho Fundo, Rodoviária do Plano Piloto, Sobradinho, Taguatinga e Setor Comercial Sul.

Parceria

O secretário comemora ainda a parceria firmada com o Exército Brasileiro para ampliar as ações do Sanear-DF. “É gratificante ver que poderemos ajudar ainda mais a saúde nesse momento tão delicado”, lembra. De acordo com ele, já na próxima semana, 120 soldados começam a ser treinados para atuar tanto nas ações de sanitização como na identificação e combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue.

“Iniciamos a capacitação teórica e prática, na quinta-feira (21). Inicialmente, passaremos por quatro quarteis”, detalha. Segundo ele, às novas equipes de militares, caberão a desinfecção diária de pontos de grande circulação de pessoas, como hospitais, terminais rodoviários e estações do metrô.