20/5/20 15:15
Atualizado em 20/5/20 às 15:19

“Projeto Açúcar” da UBS 2 do Gama alerta para os cuidados com a saúde bucal

Equipe orienta pacientes sobre as quantidades encontradas em alimentos industrializados

A equipe da odontologia da UBS 2 do Gama criou o “Projeto Açúcar” para orientar e sensibilizar à população quanto ao consumo de açúcar e a proporção desse ingrediente nos alimentos industrializados. A iniciativa nasceu com o objetivo de chamar a atenção para hábitos simples que podem interferir diretamente na manutenção de dentes saudáveis. A unidade já realiza o trabalho educativo em grupo, mas com a pandemia, os servidores adaptaram a abordagem e tiveram a ideia de levar a informação de forma visual utilizando murais.

Equipe orienta pacientes sobre cuidados com a saúde bucal. Fotos: Divulgação Agência Brasília

Pode não parecer, mas o dente tem uma concepção complexa, além da formação óssea, possui na sua estrutura também cálcio, fósforo e outros minerais que ajudam a compor a polpa, dentina e esmalte. Essa formação vem ainda do maxilar e na mandíbula. Por isso, a importância de cuidar desse conjunto desde bebê. A dentista da unidade, Larissa Léda, reforça, então, que nesse processo a alimentação é parte essencial, pois alimentos ricos em açúcar, ácidos e outros componentes químicos podem enfraquecer esse conjunto.

A profissional ressalta que além dos cuidados diários como a escovação e uso do fio dental, a alimentação tem o poder de trabalhar favoravelmente e, por isso, não poderia deixar de falar do assunto mesmo na pandemia. A finalidade da estratégia é ajudar a população a ter informações simples que podem evitar problemas futuros. A equipe chegava a ter grupos com até 15 a 20 pessoas, por faixa etária. Mas, hoje, atende apenas emergências leves preconizadas para as unidades básicas de saúde.

“Com a pandemia, não podemos reunir os grupos e vimos a oportunidade de melhorar a comunicação no mural. Então, a estratégia foi colocá-la de forma visual porque percebemos inclusive que, no momento da espera, o paciente guarda melhor a informação. O impacto é maior também. Quando entra no consultório, elogia e tira dúvidas. Mesmo ainda quem não vem para o atendimento na odontologia, pode visualizá-lo. Até servidores também são impactados pela informação”, destacou.

Consequências

Larissa assegura que o maior vilão é o açúcar e a consequência desse consumo desproporcional, a cárie. Portanto, a ideia de trazer um painel com as equivalências de produtos doces e ainda salgados nasceu para mostrar de forma real o que as pessoas estão consumindo ou dando a seus filhos. A equipe, que conta com seis profissionais, percorreu padarias e supermercados da localidade para poder saber inclusive os itens que a população consome. Assim, por meio de uma balança, calcularam o equivalente de açúcar por porção descrito na embalagem.

“A recomendação da OMS e do Ministério da Saúde é que não haja consumo de açúcar para criança até dois anos. Ainda para as outras fases da vida, não conseguimos entender o quanto de açúcar isso representa para nós. A cárie é uma doença multifatorial e é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a que prevalece dentre outros problemas bucais. O açúcar figura como um grande ativador nesse processo de deterioração do dente porque muda a acidez natural da boca, abrindo a porta para essa bactéria evoluir”, destacou.

A equipe tem uma programação futura para o mural, que continuará trazendo temas cotidianos como uso do cigarro, narguilé, piercing, entre outros. São assuntos que eram trabalhados nos grupos. Para atendimento na odontologia em UBSs, nesse momento de pandemia, o paciente pode recorrer à unidade para casos de urgência como dor, sangramento, traumas, abscessos.

* Com informações Agência Saúde