26/5/20 16:07
Atualizado em 28/5/20 às 15:04

Aprovada recomposição salarial para Segurança do DF

Reajuste incidirá sobre salários do Corpo de Bombeiros e das polícias Militar e Civil

Policiais civis, militares e bombeiros do Distrito Federal ganharam o esperado reajuste salarial com a assinatura de Medida Provisória (MP), na tarde desta terça-feira (26), pelo presidente Jair Bolsonaro. O vice-governador Paco Britto esteve no Palácio do Planalto para acompanhar o ato. O aumento será de 8% para policiais civis e de 25% em cima da gratificação para os militares.  O valor será pago em parcela única, retroativa a 1º de janeiro de 2020.

“Esse foi um reconhecimento do presidente Bolsonaro à Segurança do DF, considerada a melhor do Brasil”, destacou o vice-governador. “Agradeço em nome do governador Ibaneis”.  O acordo de recomposição faz parte de uma missão prioritária do governador Ibaneis Rocha desde o início de sua gestão. O Governo do Distrito Federal enviou o projeto ao Planalto após encontros com representantes das forças de segurança pública e de associações das categorias para debater os termos do documento.

“Há mais de um ano, o Governo do Distrito Federal viu que precisava recompor os salários das polícias”, ressaltou o secretário de Segurança Pública, Anderson Torres. “Fatores como a mudança da alíquota da Previdência e alteração de tempo de serviço reforçaram esse entendimento. Esse reajuste ajudará a amortizar o impacto, inclusive inflacionário, nos pagamentos das corporações.”

Dentro da média

O projeto de reajuste salarial para as polícias Militar e Civil e Corpo de Bombeiros do DF foi enviado ao Planalto pelo GDF no começo de 2019. O texto fixa recomposição de 25% sobre a Vantagem Pecuniária Especial (VPE) para os policiais militares e bombeiros. Para policiais civis, o aumento é de 8%.

“A porcentagem da PM e dos Bombeiros é calculada sobre uma gratificação, ou seja, sobre parte do salário”, explica o secretário. “Na realidade, o aumento está dentro da média de 8% para ambas as corporações. “Pelo fato de as estruturas das carreiras militares e da Polícia Civil serem muito distintas, nossa meta foi garantir os valores finais bem próximo, para mantê-los o mais justo possível.”

* Com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP)