2/6/20 16:41
Atualizado em 3/6/20 às 12:05

Após anos de espera, sonho da casa própria é realidade

Processo estava parado, e intervenção da atual gestão deu fim aos entraves burocráticos. Casas nas quadras 117 e 118 no Recanto das Emas ficam prontas em 2021

Locais são preparados para a construção das unidades habitacionais | Foto: Divulgação / Codhab

O sonho da casa própria está mais próximo para 530 famílias do Distrito Federal. Elas foram selecionadas há nove anos para receber um imóvel nas quadras 117 e 118 do Recanto das Emas. Porém, foi somente nesta gestão que o GDF deu fim aos entraves burocráticos que emperravam o processo, e os beneficiados começaram a assinar o contrato de financiamento das construções, passo necessário para o início das obras.

Em 2011, 24 entidades venceram uma licitação feita pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab) e ganharam um termo de concessão de uso para construir nos 530 lotes das duas novas quadras da cidade. Cada entidade recebeu um conjunto da quadra, cerca de 20 lotes, e selecionou, entre os seus associados, as famílias a serem beneficiadas.

Cooperativas em ação

Os terrenos, unifamilares, foram doados pela Codhab, e o governo construiu toda a infraestrutura na área, como rede de água, esgoto, iluminação pública, redes de águas pluviais, asfalto e meios-fios – um investimento de quase R$ 14 milhões –, tendo as obras sido concluídas há quatro anos. As 24 cooperativas se uniram e contrataram uma única construtora para erguer as casas. Mas, para o início da construção, faltava a assinatura do contrato com a Caixa Econômica Federal (CEF), que vai financiar os imóveis.

Só depois da intervenção do presidente da Codhab, Wellington Luiz, as negociações entre as entidades e o banco avançaram e as famílias beneficiadas puderam assinar o contrato para o financiamento. Na última sexta-feira (29), 42 contratos foram assinados, somando-se aos outros 148 assinados de dezembro para cá. Os demais devem ser assinados até o final dessa semana.

“Esse projeto habitacional ficou oito anos parado”, informa Wellington Luiz. “Havia entraves burocráticos na negociação entre a Caixa e as famílias, entre outras coisas. Chamamos os presidentes das cooperativas e ajudamos a chegar a um acordo.”

Agilidade nos projetos

O GDF, nesta gestão, atua para dar andamento a projetos estagnados. Desde o ano passado, foram entregues 1.080 casas e 148 apartamentos – esses, erguidos por entidades. “É recomendação do governador Ibaneis Rocha que a gente faça um esforço para que os projetos saiam do papel e seja garantido o direito à habitação para quem mais precisa”, reforça o presidente da Codhab.

O empreendimento atual no Recanto das Emas é destinado às faixas 1,5 e 2 do Habita Brasília, o programa habitacional do DF. São famílias com renda familiar de até R$ 4 mil reais. A construtora vai erguer residências iguais no terreno: dois quartos, sala, cozinha e banheiro. O valor da construção ficou em R$ 99 mil para cada família, valor financiado pela Caixa e subsidiado pelo governo federal em até R$ 47 mil, dependendo do perfil familiar.

Fim do aluguel

Esboço de projeto para as casas do Recanto das Emas | Arte: Divulgação / Codhab

A auxiliar de escritório Marciana dos Santos Pereira, 35 anos, foi uma que assinou o contato na sexta-feira (29/5).  “Estou muito feliz”, comemora. “Foi tanto tempo de espera que nem acredito. Desde 2011, sonho com essa casa todos os dias”. Pelo imóvel, ela vai pagar R$ 70 mil, valor a ser financiado em prestações de R$ 392, pagas ao longo de 33 anos.

Marciana mora de aluguel com o marido e os dois filhos, de 16 e 15 anos, em Taguatinga. Paga R$ 1 mil por mês, divide o custo com o marido, que é motorista de aplicativo, e não vê a hora de cortar essa despesa. “Aluguel é um dinheiro que nunca volta”, diz. “Agora vou pagar pelo que é meu, e com uma prestação que cabe no nosso orçamento”. A previsão é que as primeiras casas, de quem já assinou os contratos, sejam entregues em um ano.