29/6/20 18:37
Atualizado em 29/6/20 às 18:57

Nova edição de revista para colorir da PMDF tem temática antidrogas

Faça o download da publicação, que já está no quarto volume

A nova edição da revista infantil para colorir da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) aborda a prevenção e combate às drogas, com foco na orientação para crianças, na esteira do Dia Internacional contra o Abuso e o Tráfico de Drogas (26 de junho). A publicação conta com a parceira do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), cujas atividades presenciais estão suspensas.

Faça o download da revista

Com o título Colorir – Turminha da Polícia Militar, a revista mostra o personagem Daren, que veste a camisa do Proerd (imagem ao lado). Trata-se de um simpático leão, mascote do programa, que tem a função de conscientizar os pequenos de forma descontraída e acessível.

Coordenador do Proerd, o capitão Diego de Araujo Rodrigues explica que as atividades de mobilização e conscientização sobre atitudes individuais e coletivas de prevenção ao uso, abuso e dependência de drogas são feitas em plataforma online, devido ao perigo de contágio por coronavírus.

A esse respeito, o distanciamento social é uma das medidas de segurança tomadas de forma pioneira pelo Distrito Federal, que foi classificado como “ótimo” em ranking internacional de transparência no combate à pandemia.

Com mais de 650 acessos à página de download nesta segunda-feira (29), a chefe da Divisão de Relações Públicas da PMDF, primeira-tenente Vanessa Valadares, comemora o bom resultado obtido, mas explica que ainda não é possível consolidar um número fechado de downloads. “As pessoas compartilham a revista em grupo de aplicativos de mensagens. Dessa forma, temos mais alcance e podemos atuar em outras frentes de trabalho”, afirmou.

O papel da corporação vai muito além das rondas ostensivas nas ruas. Neste caso, contribui para que pais desenvolvam atividades educativas e de lazer em meio à pandemia.

A PMDF prende criar ainda uma área para desenvolver mais ações com o público infantil. A designer Rachel Aurélio, 35 anos, contou que ficou sabendo da revista por meio de um grupo de mães e, desde então, tem acompanhado as publicações.

“A iniciativa é muito interessante e útil para deixar minha filha de 3 anos entretida, porque estou de home office”, elogiou Rachel, referindo-se ao trabalho feito de casa, em decorrência da pandemia.