30/6/20 18:21
Atualizado em 30/6/20 às 18:21

Mostra on-line de filmes da América Latina e Caribe

Seleção de 12 filmes entre ficção e documentário é iniciativa do Grulac e tem apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Começa nesta quarta feira (1º), a 3ª Mostra de Cinema Latino-americano e Caribenho, com apresentação gratuita de 12 filmes da região. O evento on-line, no Youtube, segue até a próxima segunda-feira (6) e é promovido pelo Grupo de Chefes de Missão da América Latina e o Caribe (Grulac), um de cinco grupos regionais das Organizações das Nações Unidas (ONU). A mostra tem apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) e faz parte das comemorações dos 60 anos de Brasília. Ela acontece em bases virtuais em razão da pandemia do coronavírus.

A documentarista e jornalista especializada em cinema Flávia Guerra considera que a mostra “é interessante e vem a calhar, principalmente pelo acesso gratuito na rede. Vou entrar e assistir, tem muita coisa lá que não conheço”, afirma. Ela lembra que o cinema da América Latina e do Caribe é um dos mais diversificados do mundo, reflexo da riqueza de culturas que os países abrigam, com presença nos principais festivais, não apenas como centros de produção, mas, também, de locação.

Flávia Guerra entende que o Brasil vê pouco da produção do continente de que faz parte e que a seleção de filmes traz uma rica amostragem de narrativas sobre quem somos para além de nossas fronteiras nacionais. Lembra que esses países investem cada vez mais no “soft power da indústria cultural, que se estende muito além dos settings de filmagens”.

“Louvo o esforço do Grulac em não deixar morrer a Mostra, da mesma forma que estamos agindo aqui em Brasília ao manter o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Nosso cinema está num momento muito bom, de reconhecimento internacional, e será pela cultura, com movimentos de identidade cultural como esses, que iremos superar as dificuldades nos próximos anos”, afirmou o titular da Secec, Bartolomeu Rodrigues.

A 3ª Mostra faz parte dos projetos de diplomacia do Grulac e objetiva dar visibilidade e promoção a valores e características das sociedades e povos dos países membros, além de divulgar o trabalho de cineastas latinoamericanos e caribenhos. A programação traz conteúdo variado entre dramas, ficção e documentários, com legendas em português (ver programação, fichas técnicas e sinopses ao final).

Este ano, a seleção conta com filmes de Barbados, Chile, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Guatemala, Guiana, Haiti, Jamaica, México, Nicarágua, Peru, República Dominicana, Suriname, Trinidad e Tobago e Uruguai. A Guatemala abre a Mostra com o documentário Serpente Emplumada. O Grulac é composto de 33 países da América Central e do Sul, além de algumas ilhas das Índias Ocidentais. Representa 17% de todos os membros da ONU.

Serviço

3ª Mostra de Cinema Latino-americano e Caribenho, on-line
Data: 1º a 6 de julho de 2020
Para assistir,  inscreva-se no Canal no YouTube do Grulac Brasil 
Todos os filmes serão disponibilizados conforme a programação abaixo. Alguns ficarão até o final de Mostra (o que será informado); outros apenas no dia e hora da exibição agendada.

Programação

01/07 – Quarta-feira
19:00 – Cerimônia de Abertura (vídeo de boas-vindas)
19:15 – Serpente Emplumada – Guatemala

02/07 – Quinta-feira
19:00 Mauchos – Chile
20:00 Colours, os rostos sem nome – República Dominicana

03/07 – Sexta-feira
18:30 Com meu Coração no Yambo – Equador
20:50 Café Salvador – El Salvador
21:05 Doyenne – Costa Rica

04/07 – Sábado
19:00 Fire in Babylon – Países do Caricom – Barbados/ Guiana/ Haiti/ Jamaica/ Suriname/ Trinidad e Tobago
20:30 Uma Noite sem Lua – Uruguai

05/07 – Domingo
19:00 Cantando a missa com Chabuca – Peru
20:25 The Black Creoles – Nicarágua

06/07 – Segunda-feira
19:00 Inocência – Cuba
21:05 O Mundo aos seus Pés – México

Fichas técnicas e sinopses

01/07 – Quarta-feira
Título original: “Serpiente Emplumada”
Direção: Ricky López Bruni
País: Guatemala
Ano: 2018
Duração: 94 min
Gênero: Longa-metragem, documentário
Sinopse: Sobreviverá o quetzal Ave símbolo da Guatemala, devido à destruição de seu habitat? Durante séculos, o quetzal tem sobrevivido, a partir de seu simbolismo mitológico no panteões maias. No filme, arqueólogos, historiadores, músicos e biólogos internacionais compartilham com o espectador seu ponto de vista e conhecimento sobre o misticismo e o significado sagrado da maior divindade da cultura Maia.

02/07 – Quinta-feira, 19h
Título original: “Mauchos”
Direção: Sebastian Moreno e Ricardo Larrain
País: Chile
Ano: 2011
Duração: 57 min
Gênero: documentário
Sinopse: Documentário sobre a tragédia provocada pelo terremoto de 27 de fevereiro de 2010 na cidade de Constitución, revelando o longo e difícil processo enfrentado pelos “mauchos”, habitantes da bacia do Rio Maule, no enfrentamento e reconstrução de suas moradias, ruas, escolas e, o mais importante, sua alma.

02/07 – Quinta-feira, 20h
“Colours, rostos sem nome”
Título original: “Colours, los nombres sin rostro”
Direção: Luis Cepeda
País: República Dominicana
Ano: 2019
Duração: 1h 27min
Gênero: Drama
Sinopse: Uma jovem artista que nunca assina suas pinturas (porque sente que elas não estão realmente acabadas) segue sua carreira artística, apesar da pobreza e da oposição de seu pai.

03/07 – Sexta-feira, 18h30
“Com meu coração no Yambo”
Título original: “Con mi corazón en Yambo”
Direção: María Fernanda Restrepo
País: Equador
Ano: 2011
Duração: 137 minutos
Gênero: documentário
Sinopse: O documentário trata do desaparecimento dos irmãos Restrepo, ocorrido em 8 de janeiro de 1988, que foi declarado crime de Estado. O filme é baseado nas lembranças de María Fernanda Restrepo, a irmã mais nova de Carlos Santiago, de 14 anos, e Pedro Andrés Restrepo Arizmendi, de 17 anos, que foram assassinados pela Polícia Nacional.
Sinopse: O filme revive o momento trágico das lembranças de María Fernanda, que tinha 10 anos quando foi deixada a cargo de seus irmãos pelos pais Pedro Restrepo e Luz Arismendi devido a uma viagem que fizeram na Baía de Caráquez. Depois que Santiago e Andrés deixaram Fernanda na escola, eles nunca mais voltaram para ela. Descobriu-se que os meninos haviam sido mortos pela polícia e que seus corpos aparentemente haviam sido jogados na lagoa de Yambo. O que se seguiu foi a luta dos pais para denunciar publicamente o crime do Estado.

03/07 – Sexta-feira, 20:50
Café Salvador
Título original: Café Salvador
Direção: Angel Ricardo Rysh
País: El Salvador
Ano: 2017
Duração: 10 min
Gênero: Ficção
Sinopse: Relata um dia na vida de Eugênia, uma brasileira vivendo em El Salvador.

03/07 – Sexta-feira, 21h05
“Doyenne”
Título original: Doyenne
Direção: Leonardo Solano Moraga
País: Costa Rica
Ano: 2019
Duração: 95 minutos
Gênero: longa-metragem, documentário
Sinopse: O filme é uma celebração das mulheres no espaço esportivo, não pelo fato de serem mulheres, mas por seu alto desempenho como atletas. Mostra as dificuldades que elas enfrentam no dia a dia devido a suas condições étnicas, econômicas e, acima de tudo, por se inserirem em espaços ditos masculinos.

04/07 – Sábado, 19h
Fire in Babylon – Países do Caricom – Barbados/ Guiana/ Haiti/ Jamaica/ Suriname/ Trinidade E Tobago
Título em português: Fogo na Babilônia
Direção: Stevan Riley
País: Reino Unido
Ano: 2010
Duração: 83 minutos
Gênero: Documentário
Sinopse: Traçando a gloriosa hegemonia da equipe de críquete das Índias Ocidentais no final dos anos 70 e 80, este filme descreve como um taco e uma bola foram mais eficazes que tiros na batalha contra a injustiça racial e a luta pelos direitos humanos. A história é contada por homens que estiveram lá – como Viv Richards, Michael Holding e Clive Lloyd.

03/07 – Sexta-feira, 20h30
Uma Noite sem Lua
Data de lançamento: 2014
Duração:  1h 18min
Género: Comédia dramática
Direção e roteiro: Germán Tejeira
Países: Uruguai, Argentina
Música: Bruno Boselli, Gastón Otero, Daniel Melingo, Tom Waits, Lucas Sugo
Sinopse: Na véspera de Ano Novo, três personagens solitários cruzam seus caminhos em uma pequena cidade do interior do Uruguai. César (Marcel Keoroglian) é um homem divorciado que pretende jantar com a nova família da ex-mulher para retomar o amor da sua pequena filha. Antonio (Roberto Suárez), um mágico, tenta chegar ao local para apresentar seu show, mas seu carro quebra no caminho e ele conhece Laura (Elisa Gagliano), uma mulher que trabalha no posto de pedágio. Miguel (Daniel Melingo), um cantor, prepara seu retorno musical no centro da comunidade no Ano Novo. Três caminhos que podem mudar o destino dos personagens.

05/07 – Domingo, 19h
Cantando a missa com Chabuca
Título original: Cantar la misa con Chabuca
Direção: Luis Enrique Cam
País: Peru
Ano: 2018
Duração: 78 minutos
Género: Documentário
Sinopse: O documentário narra a história da composição e interpretação da Missa Criolla do Casamento que Chabuca Granda concedeu, como presente de casamento, para sua única filha: Teresa Fuller Granda. A obra estreou em 16 de janeiro de 1969 na antiga igreja de Santa Maria Magdalena em Pueblo Libre. O repertório de dez músicas, que acompanha a liturgia da missa, é uma excelente síntese dos ritmos populares da costa que usou Chabuca Granda em suas composições.

05/07 – Domingo, 20h25
The Black Creoles

Direção: María José Álvarez y Martha Clarissa Hernández
País: Nicaragua
Ano: 2011
Duração: 93 minutos
Gênero: documentário
Sinopse: Um filme etnográfico que informa, através de pinceladas históricas, o legado dos negros para o Caribe nicaraguense e o treinamento dos crioulos. Geografia humana que revela práticas antigas de sobrevivência. Histórias da vida cotidiana, que nos mostram as particularidades culturais e tradições ancestrais dos habitantes das diferentes comunidades, sua visão de mundo, lembranças, costumes, identidades, desafios, bem como sua relação com o Caribe.

06/07 – Segunda-feira, 19h
Inocência
Título original: Inocencia
Categoria: Ficção.
Duração: Longa-metragem 121 minutos.
País: Cuba.
Direção: Alejandro Gil Álvarez.
Ano: 2018
Sinopse: Cuba, novembro de 1871. Os estudantes do primeiro ano de medicina são presos por uma acusação injusta. Depois de dezesseis anos em que Fermín Valdés Domínguez, amigo e colega de cela das vítimas, luta para provar a inocência desses jovens, uma nova pista o aproxima da chave que desvendaria a verdade oculta. Uma história que revelará a incansável investigação de Fermín e os eventos chocantes que levaram aos momentos mais dramáticos e sensíveis de Havana no século XIX. Baseado em fatos reais.

06/07 – Segunda-feira, 21h05
O Mundo aos Seus Pés

Título original: The world at their feet
Direção: Alberto Isaac
País: México
Ano: 1970
Duração: 95 minutos
Gênero: documentário em português
Sinopse: Muitos especialistas, historiadores, jogadores de futebol e fãs concordam que a Copa do Mundo no México 70 é uma das melhores (se não a melhor) da história. Figuras da estatura de Pelé, Beckenbauer e Teófilo Cubillas pisaram em solo mexicano. Os fãs se voltaram para os estádios. O jogo que seria a partida do século foi disputado no Estádio Azteca. O time de futebol brasileiro que participou da Copa do Mundo do México 70 é considerado um dos melhores da história do esporte.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa