30/6/20 16:27
Atualizado em 30/6/20 às 16:55

Tucano do Zoo de Brasília ganha prótese de bico 3D

Pirata, a ave, recebeu todos os cuidados para que sua rotina não fosse prejudicada

Com o bico plenamente adaptado à prótese, o tucano Pirata já leva vida normal | Fotos: Divulgação / Zoológico de Brasília

 

Mais um procedimento inédito marcou a última semana no Hospital Veterinário do Zoológico de Brasília. Pirata, um tucano-toco (Ramphastos toco), ganhou uma nova prótese para o bico inferior, chamado de gnatoteca, que estava quebrado.

O animal já havia passado pelo mesmo procedimento em 2016 e, depois de quatro anos, ganhou uma nova prótese mais moderna, mais leve e mais resistente. A cirurgia, que durou aproximadamente duas horas, contou com uma equipe de três médicos veterinários e um engenheiro mecânico responsável pela impressão da prótese.

O objetivo do procedimento é trazer de volta o bem-estar e a qualidade de vida do animal, que tinha dificuldades para comer com a prótese antiga. Elaborada pelo engenheiro mecânico Thiago Hirano, a nova peça é feita de resina fotossensível em 3D.

“Essa prótese foi feita para encaixar perfeitamente, além de ser bem mais leve em relação à anterior”, explica ele. “Fizemos um pré-design com uma prótese de plástico e molde de gesso que nos levou à prótese definitiva.”

Operação meticulosa

Até chegar à versão final da prótese, foi um longo caminho de estudos, pesquisas técnicas e exames para que produzissem um bico de melhor qualidade. Depois de construir uma prótese considerada perfeita para Pirata, a equipe de dentistas veterinários entrou em ação.

“Limpamos bem a região onde foi encaixada a prótese e utilizamos um fio de cerclagem [sutura cirúrgica] para fixá-la no bico”, detalha a odontoveterinária Maria Eduarda Fontella. “Também preenchemos os espaços com resina acrílica para maior fixação.”

Apesar de o procedimento cirúrgico ter sido longo, a recuperação do animal foi quase imediata, devido ao metabolismo acelerado, característico da espécie. De acordo com o médico veterinário Nicolas Costa, gerente de clínica médica do Zoo de Brasília, Pirata não teve dificuldades para se adaptar ao novo bico.

Cirurgia durou cerca de duas horas, e a recuperação foi rápida, graças ao metabolismo acelerado, uma característica da espécie

 

“Depois do retorno anestésico do animal, observamos que ele estava em estação e com comportamento normal para a espécie”, conta. “Ele teve uma melhora significativa, já estava com bico novo e conseguindo comer poucos minutos depois do procedimento.”

Pirata também contou com o apoio de dois médicos veterinários anestesistas, Lais Velloso e Jairo Santos, que faziam o monitoramento dos sinais vitais durante todo o procedimento.

A espécie

Os tucanos são aves que têm como característica seu grande bico alaranjado. São animais que se alimentam de frutas, insetos, ovos, pequenos lagartos, roedores e aves pequenas. Geralmente, fazem seus ninhos em árvores ocas e costumam colocar de dois a quatro ovos, que são incubados entre 16 e 18 dias. Com expectativa de vida entre 15 e 20 anos em cativeiro, são comuns na região do Cerrado. E, apesar do seu porte, são animais frágeis.

Duro e afiado, o bico do tucano é usado como uma pinça para capturar comida. É muito leve, devido à sua estrutura interna. Suas bordas são irregulares, e a força do tucano corresponde ao seu tamanho. Para ingerir, a ave joga o alimento para frente e para trás, em direção à garganta, abrindo o bico para cima.

Assista ao vídeo. 

* Com informações do Zoológico de Brasília