7/7/20 18:19
Atualizado em 7/7/20 às 19:42

Caesb alerta para uso racional da água, apesar de reservatórios cheios

O volume de água usado por cada morador pode impactar diretamente no abastecimento da população

O Distrito Federal começa o segundo semestre do ano com uma boa notícia: responsáveis pelo abastecimento de quase 80% da população, os reservatórios do Descoberto e de Santa Maria ainda estão perto de 100% de sua capacidade. Apesar dos dados positivos, a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) reforça a importância do uso consciente da água, especialmente neste período de estiagem.

Mesmo com os reservatórios cheios, a população não pode descuidar e desperdiçar este bem natural. O volume de água usado por cada morador pode impactar diretamente no abastecimento à população, tendo em vista que o período de chuva no DF deve demorar a retornar.

“Estamos entrando em um período grande de estiagem e, naturalmente, os índices dos reservatórios vão baixar. A Caesb trabalha no monitoramento constante para garantir a segurança hídrica no DF. Mas é importante que toda a população se envolva e faça o uso racional da água. A água é um importante bem finito e deve ser usada com responsabilidade”, ressaltou o diretor de Operação e Manutenção da Caesb, Carlos Eduardo Pereira.

A água tem sido fundamental no enfrentamento da pandemia, mas é preciso cautela para não haver desperdício. Hábitos simples fazem muita diferença na conservação deste recurso finito. Para se ter ideia, um banho de vinte minutos, por exemplo, desperdiça, em média, 130 litros de água. Mais do que os 110 litros recomendados pela Organização das Nações Unidas (ONU) para uso diário por pessoa para necessidades de consumo e higiene.

Uma torneira aberta continuamente durante três minutos tem um gasto de 18 litros de água. Ao escovar os dentes recomenda-se fechar a torneira e só abrir quando for enxaguar a boca. Na lavagem da louça, a atitude deve ser a mesma. Com a torneira aberta continuamente, o gasto médio é de 240 litros. Abrindo e fechando a torneira, o gasto cai para 70.

Ao limpar calçadas, a melhor opção é varrer a sujeira ao invés de utilizar mangueiras, reduzindo assim o uso inadequado de água potável. Outra opção de economia é utilizar a água da lavagem de roupas para fazer esse tipo de limpeza.

Uma torneira mal fechada desperdiça 46 litros por dia. Uma correndo em filete gasta 180 a 750 litros. Já uma ligada normalmente pode gastar até 12,5 mil litros de água por dia. Uma descarga comum gasta de sete a 10 litros de água. É necessário sempre observar se a válvula está regulada, se não há furos nos canos e as torneiras da casa estão bem fechadas.

Outra medida que pode contribuir para o aspecto ambiental e econômico é a instalação de hidrômetros individualizados. O hidrômetro individual é um grande avanço nas questões condominiais, pois além de reduzir o desperdício de água, faz uma cobrança justa pelo consumo real de cada unidade habitacional. A medição individualizada incentiva o consumo responsável de água e propicia mais atenção aos aspectos de manutenção das instalações hidráulicas, pois em caso de problemas como vazamentos, há um aumento da conta mensal individual induzindo o morador a tomar providências imediatas.

Caso o condomínio não possua hidrômetros individualizados, uma forma simples de saber se há vazamento nas instalações hidráulicas da residência é observar paredes mofadas ou molhadas, terreno molhado, piso fofo ou ruído de escapamento de água. Um vazamento na instalação hidráulica pode causar uma perda de dois a sete mil litros de água por dia.

 

 

*Com informações Caesb