13/7/20 12:15
Atualizado em 14/7/20 às 16:19

Avançam as obras do desvio de trânsito ao longo da ESPM

Medida é necessária para a construção de dois novos viadutos na via. Recursos investidos ultrapassam a casa dos R$ 7,6 milhões 

Arte: Secretaria de Obras

 

Já estão em andamento as obras de construção do desvio de trânsito na altura do quartel do Corpo de Bombeiros, na Estrada Setor Policial Militar (ESPM). O desvio se faz necessário por causa da interdição da via no acesso ao Eixo W, para quem trafega em direção ao centro do Plano Piloto; e no acesso ao Eixão, para os motoristas que circulam no sentido Aeroporto.

Durante as obras, previstas para durar 15 dias, o trânsito não sofrerá qualquer impacto. “Somente após a conclusão do desvio é que vamos interditar a via”, explica o subsecretário de acompanhamento e fiscalização de obras, Ricardo Terenzi. “Essa alteração no trânsito perdurará durante toda a obra de construção dos viadutos”.

Os trabalhos

A ESPM começa a ser revitalizada para compor o Corredor Eixo Oeste. Dividida em duas partes por questões de logística e segurança, a obra começa no trecho entre o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar e o Terminal da Asa Sul (TAS). Serão feitos serviços de drenagem e pavimentação, além da construção de dois viadutos, ao custo de R$ 7.667.020. A previsão é que as obras sejam concluídas em um ano.

Segundo o secretário de Obras, Luciano Carvalho, o material utilizado no pavimento para circulação dos ônibus será o concreto, que tem maior durabilidade. “Além disso, os novos viadutos vão desafogar o trânsito, minimizando os engarrafamentos e os transtornos enfrentados diariamente pelos motoristas que trafegam pela região, especialmente nos horários de pico”, destaca.

Os serviços da primeira etapa serão iniciados com a construção dos dois viadutos. Um deles, no projeto identificado como Viaduto 62, será erguido na alça de acesso da ESPM ao Eixo W – o “eixinho de cima”. Terá 8 metros de altura, 33 metros de comprimento e 19 metros de largura.

Já o Viaduto 63, localizado na alça de acesso ao Eixo Rodoviário L (ERL, conhecido como “eixinho de baixo”), no sentido L4, terá 29 metros de comprimento, 15 metros de largura e altura aproximada de 8 metros. “Além disso, serão cerca de 2 km de pavimentação e 850 metros de drenagem”, esclarece o secretário.

Corredor Eixo Oeste

Com 38,7 quilômetros de extensão, esse corredor prevê o alargamento de pistas e a construção de faixas exclusivas nas principais vias de ligação do Sol Nascente/Pôr do Sol com o Plano Piloto, como a Avenida Hélio Prates, a Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) e a ESPM, que leva ao Terminal da Asa Sul.

38,7 kmExtensão prevista para o Corredor Eixo Oeste

O objetivo é reduzir em meia hora o tempo de deslocamento até o Plano Piloto. As obras serão executadas por trechos, pois seria inviável fazer todas as intervenções de uma vez no trânsito. Além da revitalização da Avenida Hélio Prates, o corredor contempla diversas outras obras, tais como a construção de viadutos e do túnel de Taguatinga.

 

 

* Com informações da Secretaria de Obras