18/10/20 20:29
Atualizado em 19/10/20 às 10:12

GDF reforça apelo para a vacinação das crianças

Secretário de Saúde alerta que os números de cobertura vacinal estão baixos e lembra que é fundamental os pais levarem os filhos à imunização

Em entrevista concedida à Rádio Atividade neste domingo (18), o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, novamente falou sobre a importância de vacinar as crianças contra a poliomielite – campanha que, juntamente com a da multivacinação, prossegue no DF até o dia 30 deste mês.

Okumoto agradeceu às equipes da Secretaria de Saúde (SES) pelo empenho no Dia D (sábado, 18), quando cerca de 15 mil crianças foram vacinadas contra a poliomielite. Porém, voltou a lembrar que os números da cobertura vacinal ainda estão bem abaixo da meta.

“Estamos muito aquém da meta; temos em torno de 160 mil crianças que precisam ser vacinadas”, destacou o secretário. “Faço um apelo para que todas as famílias levem suas crianças para vacinar, pois as unidades de saúde estão com as salas de vacinação disponíveis.”

Campanha de multivacinação

O secretário enfatizou que a poliomielite é uma doença grave e que todas as crianças precisam da imunização. Lembrou, ainda, que a campanha de multivacinação é voltada para a atualização da caderneta de vacina, procedimento necessário e para o qual basta procurar uma das unidades básicas de saúde (UBSs) do DF.

“Com a pandemia, muitas pessoas deixaram de procurar as nossas unidades, e por isso estão com as imunizações atrasadas”, alertou. “Estamos abastecidos de outras vacinas, como da gripe, pentavalente, tríplice viral e HPV, por isso é importante manter as vacinas em dia e procurar uma de nossas unidades”. Ele voltou a garantir que as salas de imunização operam dentro dos padrões máximos de segurança.

Durante a entrevista, o Okumoto também parabenizou os médicos pelo seu dia – comemorado em 18 de outubro – e destacou o papel dos profissionais da saúde no combate à pandemia. Ao final, citou o Outubro Verde – mês de combate à sífilis – e lembrou que houve aumento da doença no Brasil, finalizando com um apelo para que as pessoas utilizem preservativos e se protejam contra esse contágio.

* Com informações da SES