24/1/21 14:00
Atualizado em 24/1/21 às 14:19

Sai o lixo, entra o verde

Governo vai investir um milhão de reais no plantio de duas mil mudas no Paranoá para arborizar a cidade e inibir lixões

O objetivo é plantar 110 mil mudas este ano. 40 mil plantações foram feitas em várias regiões administrativas da capital | Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Quem passa pelas margens da DF-001, próximo à entrada do Paranoá, observa a movimentação de servidores da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) com a mão na massa. Até o momento cerca de 600 mudas de árvores já foram plantadas na área, que antes era utilizada para o descarte irregular de lixo e entulho. Outras 1,4 mil mudas serão semeadas, nessa temporada de chuvas, em outros pontos da cidade.

Irani Oliveira, 55 anos, comemorou a ação integrada do governo local. Ela é neta de pioneiros e lembra que quando criança, a cidade era muito mais arborizada. “A região foi crescendo e a quantidade de árvores foi diminuindo cada vez mais. A gente sente falta desse tipo de espaço, mas também é importante porque inibe as pessoas de jogarem lixo em lugares inadequados”, comenta a autônoma.

A solicitação do plantio de várias espécies foi feita pela Administração Regional do Paranoá para a Novacap. Sérgio Damasceno, administrador da cidade, lembra que o órgão fez um intenso trabalho de limpeza e conscientização para que os usuários não fizessem o descarte irregular de lixo e entulho na área. “Além da plantação de mudas, também faremos uma horta comunitária, preservando o meio ambiente e embelezando a região”, destaca.

Plano Anual e Arborização

A ação faz parte do Plano Anual de Arborização de Brasília 2020/2021. O objetivo é plantar 110 mil mudas este ano. 40 mil plantações foram feitas em várias regiões administrativas da capital, como Candangolândia, Lago Norte, Plano Piloto, Riacho Fundo, Santa Maria, Sol Nascente/Pôr do Sol. Atualmente, o DF tem mais de 5 milhões de árvores de 100 espécies variadas.

O diretor do Departamento de Parques e Jardins, Raimundo Silva, explica que os trabalhos começam sempre no período chuvoso, em novembro, e vão até meados de abril. Dessa forma, elas têm resistência para aguentar o período da seca. “É feito um estudo na área e a partir daí plantamos as espécies adequadas para aquele local. No caso do Paranoá, como é um espaço próximo a pista, teremos ipês, jacarandás, frutíferas, flamboyant”, adianta.

O jardim a céu aberto só é possível graças a estudos constantes da Novacap, junto com cada administração, para saber em quais áreas há a necessidade de arborização. “Brasília encontra-se em um planalto central. Além de embelezar a cidade, a floresta urbana desenvolvida pela Novacap deixa a cidade mais arborizada, melhorando o clima do local”, destaca Raimundo Silva.

Galeria de Fotos

Sai o lixo, entra o verde