12/2/21 12:46
Atualizado em 12/2/21 às 14:08

Hemocentro reforça importância da doação de sangue

Servidores da Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância se organizam em ato solidário que vai ajudar pelo menos 28 pacientes internados

A secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, participou da ação solidária de doação de sangue | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

A secretária de Desenvolvimento Social e primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, participou, junto à equipe da Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância, de um ato de solidariedade, doando sangue na Fundação Hemocentro de Brasília. Também integraram a ação sete doadores, totalizando 3,5 litros de sangue arrecadado. Com isso, será possível ajudar cerca de 28 pessoas.

“Todos temos os nossos deveres como cidadão e ser humano; portanto, se você tem condições de realizar a doação, faça, doe sangue, doe vida”, enfatizou Mayara. “Normalmente, no período de carnaval, há uma grande procura por transfusão de sangue. Por isso mobilizamos a equipe da Subchefia para doar esperança e vida em forma de sangue.”

“Se você tem condições de realizar a doação, faça, doe sangue, doe vida”Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

A subchefe de Políticas Sociais e Primeira Infância da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Anucha Soares, reforça: “Queremos que esse ato sensibilize, mas, principalmente, que incentive a doação; doar é um gesto de amor”.

 

 

Estoque estratégico

O chefe da Divisão Técnica da Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), Alexandre Nonino, que acompanhou a visita, ressaltou que a iniciativa dos servidores é muito bem-vinda, pois reforça a importância da doação de sangue. O Hemocentro opera com um estoque estratégico, podendo abastecer toda a rede pública do DF e hospitais conveniados por um período de dois a sete dias. O monitoramento para manter os níveis seguros é feito diariamente e está disponível no site da fundação.

“Especialmente antes de feriados prolongados, a diminuição no movimento de doadores nos hemocentros é visível”, pontua o gestor. “Como no fim de 2020 o fluxo de pessoas no Hemocentro de Brasília foi abaixo da média, nossos estoques neste início de 2021 ainda não alcançaram níveis adequados. Precisamos ter em mente que doar sangue é um ato de responsabilidade social, pois não há substituto para o sangue.”

“Precisamos ter em mente que doar sangue é um ato de responsabilidade social, pois não há substituto para o sangue” Alexandre Nonino, chefe da Divisão Técnica do Hemocentro

“O melhor presente que eu poderia ter é ajudar o próximo”, comentou Mayara Noronha Rocha, que comemora aniversário nesta sexta-feira. “Não basta falar da importância da doação de sangue; é preciso arregaçar as mangas e ter atitude. Doar sangue é salvar vidas.”

* Com informações da Sedes