4/5/21 20:42
Atualizado em 4/5/21 às 21:05

Lancha da PCDF passa a ser utilizada pelos bombeiros

A embarcação, rápida, vai da sede do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), na Vila Planalto, até a Prainha do Lago Norte em apenas cinco minutos

Por meio de uma parceria com a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), as ações de salvamento aquático e mergulho de resgate realizadas pelos militares do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) passam a contar com o reforço de mais uma lancha. A entrega formal da embarcação ocorreu durante uma solenidade nesta terça-feira (4), na sede do Grupamento de Busca e Salvamento, no Setor de Clubes Sul.

“Esta é uma parceria que mostra, mais uma vez, a capacidade de interação entre as forças de segurança do DF. Um equipamento que não estaria como primeira necessidade para a PCDF, será empregado prioritariamente pelo CBMDF, dando ainda mais qualidade para os atendimentos realizados pelos nossos militares”Delegado Júlio Danilo, secretário de Segurança Pública

O uso do equipamento será possível por conta de uma cessão de uso por parte da PCDF. Com capacidade para transportar até oito pessoas, a embarcação pode atingir a velocidade de 70 km/h, o que permite, por exemplo, realizar o deslocamento da sede do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), na Vila Planalto, até a Prainha do Lago Norte em cinco minutos.

“Esta é uma parceria que mostra, mais uma vez, a capacidade de interação entre as forças de segurança do DF. Esse trabalho integrado é essencial para atingirmos cada vez mais resultados positivos e quem ganha é a população do DF. Um equipamento que não estaria como primeira necessidade para a PCDF, será empregado prioritariamente pelo CBMDF, dando ainda mais qualidade para os atendimentos realizados pelos nossos militares”, avalia o secretário de Segurança Pública do DF, delegado Júlio Danilo.

De acordo com o comandante-geral, coronel William Bomfim, a aquisição de equipamentos é uma das prioridades para a corporação. “A chegada dessa nova embarcação será muito importante em nossos atendimentos. Estamos também em processo de licitação de novas embarcações, pois o GBS é responsável pela busca e salvamento em todo o Distrito Federal e também pela capacitação dos nossos militares nesta área”.

A nova lancha fará parte da frota do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), do CBMDF, que neste ano completa 56 anos de existência| Foto: SSP/DF

Para o delegado Robson Cândido, a cessão de uso da lancha é fruto de uma parceria bastante significativa entre as duas forças de segurança. “Com o objetivo de dar destinação pública para o bem, temos o benefício de toda a sociedade. A lancha será utilizada pelo Grupamento de Busca e Salvamento, sendo mais uma ferramenta disponível para o trabalho de excelência prestado pelo CBMDF”.

Busca e salvamento

A nova lancha fará parte da frota do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), do CBMDF, que neste ano completa 56 anos de existência. Além do salvamento aquático, também fazem parte do batalhão os salvamentos com cães e em acidentes de trânsito.

Além da nova aquisição, o Grupamento conta ainda com duas lanchas e outros dois barcos e dois veículos aquáticos pessoais, ou jet skis. Para fazer parte do GBS e atuar como guarda-vidas ou mergulhador de resgate. O primeiro dura sete semanas e é realizado em apenas um período – manhã ou tarde. Já o curso de mergulhador de resgate tem duração de oito semanas, em período integral. “O tempo médio de cada um dos cursos não tem muita diferença, mas para mergulhador a dedicação é maior, pois a capacitação ocorre durante o dia todo. Estamos com uma formação nesta área em andamento, que deverá terminar no final deste mês”, completa o subcomandante do Grupamento, major Victor Mendonça.

Aos finais de semana e feriados, quinze militares são distribuídos em cinco pontos do Lago Paranoá, localizados na Ponte JK, Prainha dos Orixás, Deck Norte, Ermida Dom Bosco e Piscinão do Paranoá. “Essa divisão facilita nossos atendimentos e rondas, pois temos um número muito grande de banhistas aos sábados e domingos e também nos feriados. E, depois da pandemia, verificamos um aumento grande no fluxo de frequentadores”, explica o major.

Prevenção

O subcomandante alerta ainda que a melhor forma de usar o Lago Paranoá, e também rios e piscinas, é com cautela. “A prevenção é a melhor forma de evitar qualquer tipo de acidente e em qualquer emergência, ligar imediatamente para o 193”, completa. Ele deixa algumas recomendações, como:

– Evitar entrar na água após as refeições;
– Nadar sempre acompanhado de alguém e próximo à margem;
-Aumentar o cuidado o público infantil. A distância entre o adulto e a criança deve ser de um braço;
– Em casos de travessias do Lago ou outro espelho d’água, fazê-lo próximo à margem;
– Evitar saltar de locais elevados para dentro da água (dar de ponta) e brincadeiras, como “empurrões” e “caldos”;
– Não tentar fazer salvamentos, caso não seja devidamente treinado. Nesses casos, jogue objetos flutuantes, como boias, bolas, pranchas, ou cordas para resgatar vítimas;
– Observar e respeitar as placas proibitivas e evitar caminhar sobre pedras.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública